Mantida condenação do "Rei" por plágio

O cantor Roberto Carlos sofreu na semana passadauma nova derrota no Poder Judiciário. O ministro recém-aposentado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Ruy Rosadorejeitou pedido para que fosse reexaminada decisão que condenou o ex-líder da Jovem Guarda por plágio.A Justiça concluiu que a música O Careta, lançada por Roberto Carlos em 1987, é plágio da canção Loucuras de Amor,de autoria do compositor Sebastião Ferreira Braga.A disputa jurídica entre os dois Bragas (Roberto Carlos também tem esse sobrenome) começou em 1990. Só no STJ foramprotocolados desde 1995 oito recursos. O caso também foi analisado neste ano no Supremo Tribunal Federal (STF), a maisalta Corte de Justiça do País. O ministro do STF Nelson Jobim resolveu por duas vezes manter a condenação contraRoberto Carlos. Conforme a assessoria de comunicação do STJ, não há mais possibilidades de o cantor recorrer.Na ação movida contra Roberto Carlos, Sebastião Braga pediu o reconhecimento do plágio, a publicação em jornal degrande circulação de material reconhecendo sua autoria, a inserção de seu nome nas gravações ainda não distribuídas euma indenização pelos supostos danos morais e materiais. Ao analisar o último recurso movido por Roberto Carlos, RuyRosado concluiu que foi correta a decisão da Justiça do Rio de Janeiro que condenou o artista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.