Mandela e outros líderes lamentam morte de Michael Jackson

Cantor era conhecido pela participação em concertos e discos beneficientes contra a fome na África

26 de junho de 2009 | 12h07

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela lamentou nesta sexta-feira, 26, a morte do cantor americano Michael Jackson. O líder da luta contra o apartheid divulgou uma nota por meio de sua fundação na qual diz que a perda do músico será sentida em todo o mundo.

 

som  TERRITÓRIO ELDORADO: playlist com os maiores hits de Michael Jackson

especial  ESPECIAL: linha do tempo com a carreira do cantor

 

Jackson e Mandela se encontraram pela primeira vez em 1998, quando o cantor se apresentou na festa de aniversário do líder sul-africano. Em 1999, Jackson se apresentou em um concerto beneficente organizado pela Fundação Nelson Mandela para as Crianças, a Unesco e a Cruz Vermelha na Alemanha. O cantor também se apresentou em 1997 na cidade sul-africana de Durban.

 

Nesta sexta-feira, rádios sul-africanas tocaram músicas do cantor durante toda a manhã. Fãs telefonaram para as estações para manifestar seu luto.

 

Em 1985, Michael Jackson participou da gravação de "We are the World", junto com outros artistas em prol das vítimas da fome na África.

 

Outros líderes e ex-líderes mundiais também se manifestaram após a morte do cantor. O presidente venezuelano Hugo Chávez lamentou o episódio, mas criticou a rede de TV CNN, que deu 'espaço em excesso' para a notícia.

 

Na Coreia do Sul, o ex-presidente Kim Dae-jung, que conheceu Jackson, o chamou de 'um herói mundial". 

Tudo o que sabemos sobre:
Michael Jackson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.