Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão

Maestro Jamil Maluf é afastado do Teatro Municipal de São Paulo

Regente será substituído por Carlos Moreno à frente de orquestra jovem

João Luiz Sampaio, O Estado de S.Paulo

14 Fevereiro 2014 | 12h00

O maestro Jamil Maluf não é mais diretor da Orquestra Experimental de Repertório, grupo jovem ligado ao Teatro Municipal que ele fundou em 1990 e do qual esteve à frente desde então. Em seu lugar, assume o maestro Carlos Moreno, ex-Sinfônica da Usp e atualmente diretor da Sinfônica de Santo André. Maluf foi comunicado de seu desligamento no início da manhã de hoje pelo diretor geral da Fundação Teatro Municipal, José Luiz Herencia, e entrou com pedido de aposentadoria.

Segundo o maestro John Neschling, a saída de Maluf não significa “demérito”. “Trocas acontecem em qualquer teatro, é um processo natural, maestros vão e vem. Isso não quer dizer que não reconhecemos como o trabalho desenvolvido pelo maestro foi extremamente importante e o modo como, em épocas em que a Sinfônica Municipal passou por momentos difíceis, ele e a Experimental foram responsáveis por manter o nível da programação do teatro”, disse.

Para o maestro, a decisão teve como objetivo reforçar a integração no teatro. “Da maneira como está hoje, a OER é um organismo à parte da estrutura do Municipal e o nosso trabalho tem sido justamente o de integração entre todos os grupos. De agora em diante, esperamos um trabalho conjunto com a orquestra, ressaltando a sua função pedagógica, aproximando ela da Escola de Música do município e ampliando a área de atuação, que passa a incluir, além do Municipal, teatros de bairro e os CEUs.” A ópera prevista para a Experimental de Repertório na temporada deste ano – Satyagraha, de Phillip Glass – foi cancelada, mas o restante da programação, segundo o teatro, deve ser mantido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.