Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Kai Pfaffenbach/ Reuters
Kai Pfaffenbach/ Reuters

Maestro britânico Simon Rattle deixa Londres por Munique

Regente, que se opôs ao Brexit, assinou um contrato de cinco anos com a Orquestra Sinfônica da Rádio Bávara

AFP, Redação

11 de janeiro de 2021 | 14h47

O maestro britânico Simon Rattle deixará a direção musical da Orquestra Sinfônica de Londres para assumir a direção da Orquestra Sinfônica da Rádio Bávara (BRSO) a partir da temporada 2023/2024, anunciou esta última. 

O mais famoso dos maestros britânicos, que se opôs ao Brexit, assinou um contrato de cinco anos com a BRSO de Munique.

Rattle dirigia a prestigiosa Orquestra Sinfônica de Londres (LSO) desde 2017, tendo regido anteriormente a Orquestra Sinfônica de Birmingham e a Orquestra Filarmônica de Berlim.

O músico de 65 anos será o sucessor do letão Mariss Jansons, que comandava o conjunto bávaro desde 2003 e que morreu no final de 2019 aos 76 anos. 

"É uma honra suceder Mariss Jansons, e estou ansioso para liderar esses músicos maravilhosos nos anos que virão", disse Rattle no comunicado de imprensa.

"Com sua paixão, versatilidade artística e carisma, ele será um sucessor digno de Mariss Janons", disse o diretor da BRSO, Ulrich Wilhelm.

O maestro, que tem um forte compromisso com a Europa, foi um dos signatários de uma carta anti-Brexit enviada em 2018 por representantes da indústria musical à ex-primeira-ministra Theresa May.

Em entrevista à AFP em 2020, ele descreveu o divórcio com a União Europeia como um "erro terrível" que poderia transformar seu país em uma "prisão cultural".

Habilitado como 'sir' em 1995 pela rainha, Rattle tornou-se famoso aos 25 anos quando impulsionou a Orquestra Sinfônica de Birmingham a um nível internacional.

Durante 16 anos foi diretor musical da prestigiosa Orquestra Filarmônica de Berlim, onde seus antecessores foram os lendários Claudio Abbado e Herbert von Karajan.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.