Mãe do acusador conta como Jackson prendeu família

A mãe do menino que diz ter sido abusado pelo cantor Michael Jackson forneceu detalhes do suposto plano do artista e seus assessores para manter a família presa até que a sua reputação fosse resgatada. Segundo Janet Arvizo, de 37 anos, Jackson chegou a lhe dizer que a vida do seu filho, Gavin Arvizo, estava em perigo depois da exibição de um documentário de televisão em que o cantor aparece segurando a mão do menino e admite dividir a cama com crianças.Michael Jackson teria, então, levado a família de avião de Los Angeles para Miami, onde o cantor supostamente pretendia organizar uma entrevista coletiva para refutar as acusações. Jackson teria dito que "ele os amava, que se importa com eles" e que ele ia protegê-los "desses assassinos", disse Janet Arvizo no tribunal de Santa Maria, na Califórnia.Alguns dias depois, a família teria sido levada de volta para Neverland, o rancho de Michael Jackson, onde eles teriam sido mantidos contra a sua vontade até concordarem em participar de um vídeo defendendo o cantor.O depoimento de Janet Arvizo foi um dos mais dramáticos do julgamento, tanto pelo conteúdo quanto pela sua forma de contar os supostos acontecimentos. A defesa de Michael Jackson diz que as acusações são falsas e que ela só está tentando tirar dinheiro do cantor. Pela manhã, em audiência com o juiz Rodney Melville, a mãe do menino disse que não falaria das supostas fraudes aplicadas no governo, para conseguir dinheiro do seguro social. Janet evocou a quinta emenda da constituição, que garante ao cidadão americano o direito de não falar sobre algo que o possa incriminar. (Leia mais: Mãe do acusador de Jackson evoca 5.ª emenda)A mãe de Gavin Arvizo testemunhou apenas um dia depois do padrasto de Gavin Arvizo ter dito que a família recebeu uma oferta de suborno para ajudar o artista a reparar os danos à sua imagem causados pelo documentário Vivendo Com Michael Jackson. Jay Jackson disse que funcionários do cantor chegaram a se oferecer para comprar uma casa e pagar a faculdade do menino e seus irmãos, em troca da gravação de uma fita defendendo o artista. (Leia mais: Jackson ofereceu casa a acusador, diz padrasto)Michael Jackson, de 46 anos, se diz inocente de todas as acusações feitas pela família do menino, que tinha 13 anos em 2003, a época do suposto abuso. Se condenado, ele pode receber uma pena de até 21 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.