Mãe de acusador deve retomar ataques a Jackson

A mãe do menor que acusa Michael Jackson de pedofilia transformou o tribunal de Santa Maria, na Califórnia, em um palco de onde lança ataques e conta complexos relatos contra o cantor americano. Desde que seu testemunho começou na quarta-feira passada, a mãedo menor soube captar toda a atenção, tanto dos meios de comunicação como do júri, oferecendo declarações tão escandalosas e prejudiciais para o cantor como incríveis.Jackson, de 46 anos, é acusado em quatro ações de abuso sexual de um menor de 13 anos, além de conspirar para manter retida a famíliado jovem contra sua vontade. "Agora sei que Neverland (a mansão de Jackson na Califórnia) é só álcool, pornografia e sexo com menores", declarou na sexta-feira a testemunha sobre o rancho do chamado "rei do pop". Como várias outras de suas declarações, a frase foi eliminada do processo por ser improcedente em um testemunho que a cada pergunta torna-se mais beligerante.A mãe do menor é considerada uma testemunha crucial, tanto para a acusação, que a chamou, como para a defesa, que espera demonstrar apouca credibilidade de seu testemunho.Com frases como "estive esperando dois anos por este momento" ou "por favor, não me julguem", a mãe do menor preferiu falar diretamente ao jurado. Seu comportamento foi motivo de riso entre os 12 membros do júri,assim como chamadas de atenção do juiz que pediu à testemunha que deixe os discursos e responda diretamente às perguntas feitas.Hoje, está assegurada uma nova briga verbal entre a mãe do menor e o advogado de defesa de Jackson, Thomas Mesereau. A mãe do menino não é a primeira testemunha neste processo queutiliza sua passagem pela cadeira para convertê-la em seu palco pessoal, ao falar ao júri como se dirigisse às câmeras apesar deo julgamento ser fechado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.