Mãe de acusador de Jackson é acusada de fraude

Testemunhas convocadas pelos advogados de defesa de Michael Jackson disseram durante o julgamento do cantor que a mãe do menino que o acusa de abuso sexual fraudou o sistema de assistência social dos Estados Unidos. Janet Arvizo, mãe do adolescente Gavin Arvizo - que diz ter sido molestado por Jackson quando tinha 13 anos -, teria mentido sobre a sua renda para receber benefícios sociais. Uma funcionária pública disse que Janet Arvizo disse não ter fonte de renda, embora ela acabara de ganhar US$ 30 mil em um processo judicial, dez dias antes. Uma outra testemunha, o contador Mike Radakovich, disse ainda que ao mesmo tempo em que recebia benefícios sociais, Janet Arvizo recebia milhares de dólares de Michael Jackson.Segundo Radakovich, ela gastou US$ 7 mil em compras e restaurantes entre fevereiro e março de 2003, período em que diz que ela e a família foram mantidas contra a sua vontade na mansão de Jackson.A ex-cunhada de Janet Arvizo disse ao júri que se ofereceu para ajudar no tratamento do seu filho, Gavin, que estava com câncer, fazendo campanhas por doações de sangue. Segundo a testemunha, Janet recusou a ajuda, dizendo que "não precisava do meu sangue, que precisava de dinheiro".A editora do jornal Mid Valley News, Connie Keenan, também depôs contra Janet Arvizo, dizendo ter sido enganada por ela para escrever uma matéria sobre a doença do menino."A mãe queria uma matéria adicional porque ela não ganhou dinheiro suficiente com a original - essas são palavras dela, não minhas", disse Connie.Analistas dizem que a defesa estava tentando apresentar Janet Arvizo ao júri como uma exploradora que inventou um caso contra Jackson para tirar dinheiro do cantor.O artista responde a dez acusações, incluindo a de abusar sexualmente de Gavin Arvizo e de manter a família do menino à força em sua casa. Se condenado, Jackson pode pegar até 20 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.