Luke MacGrego/ Reuters
Luke MacGrego/ Reuters

Madonna, um sucesso escandaloso

Relembre alguns dos escândalos que apimentaram a carreira da cantora americana, que completa 60 nesta quinta, 16

AFP

15 de agosto de 2018 | 11h56

Sempre alvo de polêmica, Maddona nunca abriu mão de manifestar abertamente uma sexualidade sem complexos que muito contribuiu para sua fama de estrela. 

Relembramos aqui alguns dos escândalos que apimentaram a carreira da cantora americana, que nesta quinta-feira faz 60 anos. 

Ao lançar sua primeira premiação de vídeos musicais , em 1984, a MTV carimbou, com um espetáculo impressionante de Maddonna, a pecha de antiguidade em outras premiações famosas, como o Grammy e o Oscar

Naquela apresentação, a estrela pop entrou no palco sobre um enorme bolo de noiva, cantando Like a Virgin. Estava descalça e usava um vestido de casamento sexy, com um cinturão com a inscrição "boy toy", que não significa exatamente brinquedo de criança.  Ao cantar, a artista se contorcia no chão, deixando ver a roupa de baixo.

Estava lançada sua reputação de garota má, que ela só fez aperfeiçoar em cada novo vídeo. 

O vídeo da MTV com a música Like a Prayer provocou um escândalo em 1989 - escândalo amplificado com seu uso num comercial da Pepsi. No vídeo, que alterna momentos de clara conotação sexual e imagens religiosas, Maddona faz amor com a estátua de um santo negro que ganha vida e dança em frente a cruzes em chamas, símbolo da organização supremacista branca Ku Klux Klan. O Vaticano protestou. Movimentos religiosos ameaçaram boicotar a Pepsi que, sob pressão, cancelou a campanha publicitária.

Um ano depois, Madonna voltou à carga criando uma controvérsia tal que a própria MTV se recusou a transmitir o vídeo da música Justify My Love. Dirigido pelo fotógrafo de moda francês Jean-Baptiste Mondino, o vídeo mostra práticas sexuais como lesbianismo, submissão, sadomasoquismo e outras num quarto de hotel. Os dançarinos e atores participantes revelaram mais tarde que durante a filmagem o limite entre espetáculo e realidade foi perigosamente ameaçado. A polêmica fez com que o vídeo batesse recordes de venda, numa época em que não existia YouTube.

 

Madonna provocou escândalos também em suas turnês, várias das quais lhe renderam mais de US$ 100 milhões. 

A turnê Blond Ambition, de 1990, conseguiu ser ainda mais ousada em celebração de sexo e de homossexualidade, que então era muito menos aceita. A coreografia incluía gestos de masturbação de Madonna quando ela cantava Like a Prayer, o que levou a polícia de Toronto, Canadá, a advertir a cantora de que ela poderia ser presa. Madonna amenizou a cena.

Foi nessa turnê que Madonna lançou o sutiã cônico desenhado por Jean-Paul Gaultier, peça que passou a ser associada a sua imagem. 

Mesmo seus fãs acharam que ela foi longe demais ao publicar, em 1992, o livro Sex. A publicação tem imagens muito sugestivas da cantora , como uma em que aparece um cachorro. O livro foi um sucesso de venda, embora ofuscando um pouco o disco Erotica, lançado simultaneamente. Madonna afirmou em várias ocasiões que não se arrependia de ter lançado Sex. Para alguns, o livro foi o preâmbulo da posterior explosão de pornografia.

A cantora se tornou uma espécie de irmã mais velha de muitas colegas que seguiram seu estilo, e continua tendo êxito em fazer que se fale dela. Na premiação de vídeos da MTV de 2013, Madonna beijou apaixonadamente as "irmãzinhas" Christina Aguilera e Britney Spears

Por último, a superestrela fez uma aparição surpresa no festival  Coachella, na Califórnia, em 2015, causando sensação ao beixar o rapper Drake. / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ   

 

Tudo o que sabemos sobre:
Madonna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.