Madonna explica cena da crucificação em shows

A cantora norte-americana Madonna divulgou na quinta-feira um comunicado através da Warner Records falando sobre a polêmica cena da crucificação que realizou em shows de sua turnê "Confessions". A turnê chegou ao fim na quinta, com show em Tóquio, no Japão.A cena em que Madonna é crucificada causou polêmica entre religiosos. O arcebispo católico de Moscou, Tadeuz Kondrusiewicz, pediu "encarecidamente" para que ela não se crucificasse na apresentação em Moscou, na Rússia. A pop star manteve, no entanto, a encenação. Poucos dias antes do concerto em Moscou, que aconteceu no dia 12, cerca de 100 radicais ortodoxos se manifestaram na praça Pushkin de Moscou para pedir uma "nova inquisição", com o propósito de lutar "contra a profanação dos cruzamentos, dos ícones e da simbologia da ortodoxia russa". A União de Porta-bandeiras Ortodoxos disse que faria o possível para cancelar o show de Madonna, acusado por alguns de "sacrilégio".A diva irritou também os católicos quando foi apresentar o show em Roma. "Crucificar-se na cidade do papa e dos mártires é um ato de hostilidade", disse em tom de condenação o cardeal Ersilio Tonini, segundo publicou o jornal "La Stampa". "É um escândalo criado inclusive por comerciantes astutos para atrair publicidade". Madonna respondeu às críticas com provocação: convidou o papa Bento XVI para conferir sua performance.Líderes muçulmanos e judeus também criticaram o ato. "Não é a primeira vez que Madonna monta um show como este. Nós deploramos. Acreditamos que é de mau gosto", disse Mario Scialoja, presidente da Liga Mundial Muçulmana na Itália. Leia a íntegra do comunicado de Madonna:"Estou muito grata pelo fato de meu show ter sido tão bem recebido por todo o mundo. Porém parece que há uma série de conclusões equivocadas sobre minha cena na cruz, e quero me explicar de uma vez por todas. Há uma parte do meu show em que três dançarinos meus ´confessam´ ou discutem experiências angustiantes de suas infâncias que, no final das contas, eles superaram. Minha ´confissão´ ocorre em seguida e acontece no crucifixo, que, afinal das contas, consegui me libertar. Isso não é uma provocação à Igreja (...), nem mesmo (uma atitude) anticristã, um sacrilégio ou uma blasfêmia. Pelo contrário, isso é (...) para encorajar a humanidade a ajudar uns aos outros e para ver o mundo como um todo especial. Creio do fundo do coração que se Jesus estivesse vivo hoje em dia ele faria a mesma coisa. Minha intenção é chamar a atenção para as milhões de crianças na África que estão morrendo todos os dias, e que vivem sem cuidado, sem medicamentos e sem esperança. Estou pedindo para as pessoas abrirem seus corações e mentes para se envolver em tudo o que elas possam. A música acaba com uma citação extraída do livro bíblico de Matheus: ´Quando estava faminto você me alimentou. Estava nu e você me vestiu. Estava doente e você tomou conta de mim. E Deus respondeu: Tudo o que fizer pelo menor de meus irmãos (...) você estará fazendo por mim.´ Por favor, não julguem sem antes ver meu show."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.