AP
AP

Madonna está tentando adotar mais uma criança do Malavi

Desta vez a pop star deve adotar uma menina para fazer companhia ao filho adotivo David Banda

AP,

26 Março 2009 | 13h45

A popstar Madonna está tentando adotar uma segunda criança do Malavi, país pobre da África onde mantém uma instituição de caridade, afirmaram autoridades locais nesta quinta-feira, 26. A cantora de 50 anos obteve de uma corte do Malavi autorização e concluiu o processo de adoção de David Banda no ano passado.

 

De acordo com uma autoridade do departamento do bem-estar social do Malavi, a cantora americana já assinou os papéis de adoção. Uma outra pessoa próxima da situação afirmou que Madonna poderá estar no Malavi durante o fim de semana, e que uma corte pode avaliar o caso de adoção na segunda-feira.

 

Uma autoridade do governo norte-americano confirmou uma tentativa de adoção por parte de Madonna. A porta-voz da popstar, Liz Rosenberg, não fez comentários.

 

Madonna enfrentou dificuldades na adoção de David Banda no Malavi, levantando polêmica sobre a quebra das regras de adoção, já que o país não permitia adoções por estrangeiros. Há rumores de que desta vez ela queira adotar uma menina.

 

Madonna tirou David Banda de um orfanato e o levou para o Reino Unido em 2006, quando ainda era casada com o cineasta Guy Ritchie. Ela tem dois filhos biológicos: Rocco, com Ritchie, de quem se divorciou no final de novembro e Lourdes Maria, cujo pai é Carlos Leon, que foi seu personal trainer.

 

Em resposta por e-mail a uma pergunta por do Nation na semana passada, Madonna disse: "Muitas pessoas - especialmente nossos amigos do Malavi - dizem que David precisaria ter um irmão ou irmã do Malavi. É algo que eu estou considerando".

 

O Malavi não aprova adoções por pessoas solteiras ou divorciadas, mas o oficial do departamento de bem-estar social disse que este caso está sendo analisado com especial atenção.

 

As informações são da Associated Press e da BBC.

Mais conteúdo sobre:
Madonna adoção Malavi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.