Mike Hutchings/ Reuters
Mike Hutchings/ Reuters

Madonna está sendo processada por ex-funcionários de sua ONG na África

Gestores de projeto para construção de uma escola em Malawi alegam demissão injusta e falta de pagamento

Estadão.com.br,

25 Abril 2011 | 14h18

Madonna está enfrentando um processo movido por oito ex-funcionários de uma organização beneficente fundada por ela em Malawi, na África, de acordo com o site do jornal inglês The Guardian. A cantora é acusada por demissão injusta de funcionários ligados a um projeto da fundação Raising Malawi, contratados para trabalhar na construção de uma escola. Madonna também está sendo processada por não pagar benefícios aos funcionários.

 

A cantora alegou em sua defesa que "não há nada de injusto sobre as demissões, pois elas foram necessárias por razões econômicas genuínas", em papeis levados por seu advogado à corte trabalhista da capital do país africano, que está julgando o caso.

 

O projeto que viabilizaria a construção da Raising Malawi Academy For Girls (RMAG), uma escola para meninas, foi cancelado em janeiro deste ano, antes mesmo de as construções serem iniciadas, em meio a alegações de má gestão e gastos excessivos com supérfluos. Uma auditoria acusou que mais de US$ 3 milhões foram desperdiçados pelos funcionários da fundação. Madonna alegou ainda que os planos de adiar a construção do colégio foram feitos com cuidado e boa fé.

 

Madonna disse ainda que a RMAG está disposta a pagar todos os benefícios aos trabalhadores, de acordo com as leis do país, apesar de tudo ter sido tratado em um acordo confidencial por escrito, assinado pelos funcionários à época das demissões. A cantora pediu ainda que a Raising Malawi não fosse envolvida no processo, pois é uma instituição americana e legalmente distinta da organização criada para desenvolver o projeto da escola.

 

O advogado dos oito funcionários tentará provar que as alegações de Madonna não têm fundamento e que os trabalhadores foram obrigados a assinar um termo antes de serem demitidos.

 

Um dos funcionários, o chefe executivo Dr Anjimile Oponyo, disse que Madonna é responsável pela situação que a RMAG enfrenta. "O carisma dela mascara seu pouco conhecimento sobre educação e suas fracas habilidades para os negócios contribuíram para gerar o caos financeiro e programático atual".

 

O Raising Malawi Academy For Girls é um entre os vários projetos da cantora pop para diminuição da miséria na África. Madonna também atua nos setores de saúde e pobreza no Malawi.

Mais conteúdo sobre:
Madonna Malawi Raising Malawi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.