Madonna esnoba famosos e valoriza turnê pelos EUA

Faltam poucos dias para a chegada da Drowned World Tour aos Estados Unidos e quem ainda não tem ingressos para ver Madonna ao vivo pode se preparar para desembolsar um bom dinheiro: a assessoria de imprensa da pop star avisou que nem os famosos vão ganhar convites. A outra solução é acompanhar a movimentação por meio de um conteúdo exclusivo da America Online, que patrocina os shows e promete uma série de novidades nos próximos dias.Todos os ingressos para os shows da primeira turnê da cantora em oito anos foram vendidos em poucos minutos, em maio. Serviços de cambistas oferecem tickets com uma média de 400% de acréscimo, enquanto web sites de leilão, como o eBay, têm "ofertas" de bons lugares por cerca de US$ 2 mil. Durante um evento beneficente da AmFar, na semana passada em Nova York, quatro tickets vip foram arrematados por US$ 20 mil, o mesmo valor pago por uma participação especial no seriado Os Assumidos.De acordo com a assessoria de Madonna, não há ingressos grátis nem para os nomes mais famosos do pop. Elton John, Mick Jagger, Angelina Jolie, George Michael e Naomi Campbell foram algumas das estrelas que tiveram de desembolsar cerca de US$ 250 para ver o show em Londres. "Todos são tratados da mesma maneira nesta turnê", diz a porta-voz da cantora, Liz Rosenberg.A solução é usar a Internet para acompanhar a movimentação. Um web site especial, instalado no endereço http://www.drownedworldtour.com, foi montado para apresentar todos os detalhes da turnê. Apesar de não ter sido atualizada nos últimos dias, a página tem vários vídeos sobre a chegada de Madonna em cidades como Berlim e Milão e muitas fotos das apresentações.O filé mignon, no entanto, vai estar disponível apenas para os assinantes da America Online. A empresa, que no ano passado se fundiu com a Time Warner, dona da gravadora de Madonna, promete vídeos inéditos do primeiro show, em Barcelona, muito mais imagens, um novo remix especial e uma coleção de músicas que teriam influenciado a cantora ao longo dos anos.Quem quiser estar perto do "mundo de Madonna" pode tentar acompanhar uma das apresentações de sua cantora de apoio, Donna DeLory, que está lançando um disco-solo e fazendo shows em clubes, paralelamente à Drowned World Tour. A cantora, que já trabalhou também com nomes como Jewel e Santana, havia lançado seu primeiro álbum durante o Girly Show, em 1993, e acabou emplacando a música Dream On, escrita por Madonna, no top ten dos Estados Unidos. Ela agora volta menos dançante, em um disco recheado por composições feitas com cello, que não ganharam o toque mágico da pop star.E quem não estiver muito interessado na passagem de Madonna pelos Estados Unidos não deve ficar imune ao "ataque". Muita controvérsia está prometida para os shows de Nova York, já que ela está incluindo uma cena em que dá um tiro de rifle em um homem - ação que vem recebendo reclamações de grupos anti-violência. Madonna canta no Madison Square Garden, em Nova York, nos dias 25, 26, 28, 30 e 31 de julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.