Madonna em pé de guerra com a Warner

A parceria entre Madonna e a gravadora Warner Music já dura 20 anos e foi responsável por bilhões de dólares em vendas de discos. Mas o que parecia ser uma relação estável mostrou suas primeiras rachaduras. De acordo com o New York Times, a pop star e a gravadora estão em disputa sobre o destino do selo Maverick, cuja maior parte pertence a Madonna e é financiado pelo grupo Time Warner desde que foi criado, em 1992.O contrato do selo termina no fim do ano que vem. A discussão gira em torno do que será feito com a Maverick: se a Warner não continuar a financiar o selo, Madonna pode exigir que a gravadora compre de volta os 60% que lhe pertencem. Tudo estaria bem se não houvesse divergência quanto ao preço. Para Madonna, sua parte na Maverick vale US$ 60 milhões. Para a Warner, não vale nem metade disso. A Time Warner, conglomerado que detém Warner Music, está descontente com os resultados da Maverick. Depois de dar lucro com artistas como Alanis Morissette e a banda Prodigy, a Maverick só deu prejuízo. E uma das causas é exatamente Madonna: seu último disco, American Life, vendeu 3,5 milhões de unidades nos EUA; menos da metade que vendeu o disco anterior, Music. E menos de um terço da venda de Ray of Light, de 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.