Madonna e Red Hot participam do Live Earth, em Londres

A pop star Madonna e o grupo de rock Red Hot Chili Peppers devem se apresentar no concerto Live Earth, em Londres, no dia 7 de julho. O evento será realizado em prol da conscientização da gravidade do aquecimento global. O anúncio foi feito pelos organizadores nesta terça-feira, 10. Seguindo o molde empregado por Bob Geldof para os concertos Live 8, contra a pobreza, em 2005, o Live Earth inclui o Rio de Janeiro entre as metrópoles escolhidas: Johannesburgo (África do Sul), Londres (Reino Unido) , New Jersey (EUA), Xangai (China), Sydney (Austrália) e Tóquio (Japão).Outros artistas que devem participar do concerto no estádio de Wembley, em Londres, são os Beastie Boys, Keane, Foo Fighters, o grupo de hip hop Black Eyed Peas, os grupo de rock alternativo Snow Patrol, a banda inglesa Duran Duran, a lendária Genesis e os novos darlings, os cantores Corinne Bailey Rae e James Blunt.O local do concerto só foi anunciado nesta terça-feira, depois de alguns parlamentares republicanos terem rejeitado a sugestão do ex-vice-presidente Al Gore, que é militante ambientalista, de que um dos sete concertos fosse realizado nos jardins do Capitólio, em Washington."Ao atrair um público de bilhões de pessoas, esperamos que o Live Earth lance uma campanha global que dará a uma massa crítica de pessoas em todo o mundo as ferramentas de que precisam para ajudar a resolver a crise climática", disse Gore em comunicado à imprensa.Gore, que recebeu um Oscar este ano pelo documentário em que atuou, Uma Verdade Inconveniente, sobre as mudanças climáticas, está liderando os esforços para recrutar o mundo da música pop para sua causa.O lucro dos shows será investido na criação de uma fundaçãoparaa luta contra o aquecimento global, que será liderada pela Aliançapara a Proteção do Clima, presidida por Al Gore.O cadastramento para obter ingressos para o show de Londres começará entre 13 e 16 de abril no site www.livenation.co.uk/liveearth.Os organizadores esperam atrair um público de até 2 bilhões de pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.