Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Madonna compara a presidência de Trump como uma separação

Em entrevista a 'Harper's Bazaar', cantora fala sobre sua carreira, a voz e outros assuntos

Helena Andrews-Dyer, Washington Post

10 Janeiro 2017 | 18h02

Se você está esperando que Madonna deixe de falar sobre o que pensa sobre as coisas, não prenda a respiração: isso não vai acontecer.

Em uma entrevista a Harper`s Bazaar, para a feminista e editora Roxane Gay, Madonna falou sobre sua carreira, a voz, envelhecimento e outros assuntos. Não tem planos, aos 58 anos, de deixar de falar o que pensa. "Eu tenho que começar a poupar mais a voz", disse a veterana artista.

Ela se diz perplexa com a falta de posicionamento de alguns artistas da música, que só pensam nos fãs e nos seus seguidores do Instagram. Não é assim que pensa a cantora de Like a Prayer. E falando em oração...

Madonna disse que na noite das apurações dos votos para presidência dos Estados Unidos, ela ficou lendo Zohar, um texto canônico da Cabala, enquanto seu agente lia o alcorão. "Nós estavámos fazendo de tudo, acendendo velas, meditando, orando, oferecendo nossas vidas a Deus para sempre".

No outro dia, Trump seria eleito presidente dos Estados Unidos, transformando-se em um pesadelo para Madonna a partir de então. "Eu acordo todas as manhãs e é como se tivesse terminado com alguém que machucou seu coração. Você acorda e, por um segundo, você é apenas você. Então você diz: 'Oh, a pessoa que eu amo machucou meu coração, estou devastada, sem nada'". E compara: "É como estar sendo despejada por seu amor, ficando presa num pesadelo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.