Madonna começa turnê Confessions em Los Angeles

Ela era uma eqüestre, uma dançarina e uma roqueira, além de, é claro, ter sido crucificada em cruz de diamante - tudo isso em menos de duas horas. Assim foi o show de estréia da turnê Confessions da pop star Madonna, no domingo, em Los Angeles, Califórnia.Madonna, conhecida por sua atuação teatral e sempre surpreendente em shows, contou com mais de 12 dançarinos - que mudaram mais de roupa do que a própria cantora. A estrutura do show parecia até a das apresentações do Cirque du Soleil, a companhia canadense (que vem, por sinal, para o Brasil no segundo semestre), com muitos vídeos espalhados filmando Madonna. Tudo estava tão perfeitamente coreografado que dificilmente se viu espaço para atitudes espontâneas. Parecia uma apresentação feita para assistir em casa, na TV. A cantora chegou em um disco em formato de bola gigante coberto por cristais Swarovski cujo valor médio chega a US$ 2 milhões - talvez tenha sido por isso que os ingressos custaram US$ 350 cada. Os dançarinos masculinos representavam cavalos, por isso usavam roupas de couro e rédeas.A música de abertura foi Future Lovers. Ela dedicou muito do show ao álbum Confessions on a Dance Floor, cantando 9 de suas 12 músicas.Efeitos visuais fascinaram o públicoA cantora manteve a energia em todo o show, interagindo com o público, que se empolgou com o hit Hung Up. Os efeitos visuais mantiveram o público atento e fascinado. Quando cantou Like a Virgin, Madonna subiu numa espécie de carrossel. Em Live to Tell, do álbum de 1986 True Blue, números começaram a aparecer no palco. Eles representavam a quantidade de crianças órfãs atingidas pelo vírus da aids na África (12 milhões). Quando Madonna começou a cantar I Love New York, foi a vez das imagens de líderes mundiais aparecerem no telão, como Richard Nixon, Saddam Hussein e George W. Bush, com as palavras escritas em letras grandes e vermelhas ao lado: "Don´t Speak". Um dos pontos altos da noite foi a atuação do vocalista convidado Isaac Sinwanhy. Usando um robe e um turbante, ele fez um belo solo e se juntou à Madonna para cantar Drowned e Paradise (Not for Me). Outro destaque foi o momento em que dezenas de dançarinos apareceram no palco de skate performando Xanadu, enquanto Madonna, vestindo a roupa que o ator John Travolta usou no filme Saturday Night Fever cantou Music.Dias antes do show, chegou às bancas a revista W com Madonna como amazona sexy na capa. Com o título "Madonna monta de novo", a W traz uma reportagem de 58 páginas sobre a estrela pop e um ensaio fotográfico de Steve Klein.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.