Madonna, Chris Martin, Rihanna e outros artistas apoiam serviço musical de Jay Z

Tidal está entrando em espaço lotado, com a forte concorrência; veja vídeo da reunião do grupo e da assinatura de um documento

Jennifer Saba, Bob Mezan, Reuters

30 Março 2015 | 21h32

Alguns dos maiores nomes do mundo da música, como Beyoncé, Chris Martin (Cold Play) e Rihanna, estão apoiando o novo serviço global de streaming musical Tidal, de Jay Z, lançado nesta segunda-feira, 30, que está se colocando como o primeiro de seu tipo de propriedade de artistas.

Os coproprietários Kanye West, Daft Punk, Alicia Keys, Madonna e outros músicos estavam em Nova York nesta segunda-feira para assinar uma declaração de uma "nova era".

Ainda assim, Tidal está entrando em um espaço lotado, com a forte concorrência de Spotify, Pandora Media Inc e I Heart Radio, da Clear Channel. Mas os profundos laços de Jay Z com a música podem ajudar a distinguir Tidal de seus rivais.

Os músicos reclamam que não estão sendo devidamente compensados pelos direitos digitais de música. Além disso, downloads de música foram encolhendo enquanto serviços de streaming cresceram em popularidade.

Ringo Starr, ex-Beatles, abordou a questão com a Reuters TV nesta segunda-feira: "Tudo o que eu sempre ouço é que a gravação foi transmitida 17 milhões de vezes e eles te dão um cheque de 12 dólares. Não entendo isso".

No ano passado, Taylor Swift puxou todo o seu catálogo do Spotify em uma decisão surpreendente. O catálogo de Swift está disponível no Tidal, mas o mais recente, 1989, não.

Tidal tem acordos de direitos com todas as grandes gravadoras, disse um representante da companhia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.