Madonna acusa sociedade de ser 'machista e discriminadora'

Em entrevista, cantora afirma que, apesar de sua idade, nunca irá se acomodar às regras sociais

Ansa,

11 de junho de 2008 | 11h23

A cantora norte-americana Madonna, que no próximo mês de agosto irá comemorar seu aniversário de 50 anos, acusou a sociedade contemporânea de ser "machista" e de "discriminar pela idade".   Em entrevista à revista britânica Hello!, a cantora declarou que, apesar de sua idade, nunca irá se acomodar às regras sociais e irá continuar balanceando suas responsabilidades de mãe e cantora profissional.   "Nossa sociedade não apenas sofre de racismo e machismo, também discrimina pela idade. Quando uma pessoa chega a uma certa idade, não lhe permitem ser aventureiro, ou sexual", disse a rainha do pop. "Existe alguma regra? Supõe-se que alguém tenha que morrer? Nunca fui uma conformista", acrescentou Madonna.   A cantora admitiu também que costuma ser uma "obsessiva por controle", ainda que assegure ter conseguido melhorar desse problema nos últimos anos, graças ao fato de chorar mais.   "Costumava ir ao estúdio de gravação e explodir. Isso não acontece mais dessa forma, agora tenho uma personalidade dinâmica. Sou uma garota chorona, choro o tempo todo", continuou.

Tudo o que sabemos sobre:
Madonna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.