"Madame Butterfly" abre Festival de Ópera

O Festival de Ópera do Teatro da Paz, em Belém, começa hoje com uma nova montagem de Madame Butterfly, de Puccini. O elenco é encabeçado pela soprano Eiko Senda e o tenor Marcelo Vanucci. E a regência é de Mateus Araújo - escolhido como titular da orquestra paraense no início do ano, ele conduz a orquestra em seu primeiro festival. Além de Butterfly, os músicos vão receber o especialista em música brasileira Roberto Duarte para a estréia de Bug Jargal, ópera do paraense Gama Malcher redescoberta e restaurada nos últimos anos. Belém tem montado regularmente os grandes títulos operísticos com a preocupação de dotar o Teatro da Paz com um repertório base e devolvendo aos poucos ao teatro e à população o costume de ter a ópera como parte de sua vida cultural. Para isso, reúne antes de mais nada, bons elencos, como é o caso dessa produção, com Eiko Senda no papel de Cio-Cio San e Marcelo Vanucci como Pinkerton. E não pára por aí, com a presença ainda de Manuel Alvarez, Denise de Freitas e Paulo Queiroz. A direção cênica é do argentino Alberto Félix. Já Bug Jargal (com récitas nos dias 10, 12 e 14 de setembro) será dirigido por Cléber Papa e regido por Roberto Duarte, que também revisou a partitura da ópera. No elenco, gente jovem a que se deve prestar cada vez mais atenção, como a soprano Gabriella Pace, ao lado do tenor Eduardo Itaborahy, da meio-soprano Edinéia Oliveira, do barítono Inácio de Nonno e dos baixos José Gallisa) e Sávio Sperandio. Além das óperas, o festival terá três recitais: o barítono Paulo Szot faz uma homenagem aos 400 anos de D. Quixote; Celine Imbert canta com Gilberto Tinetti e Gail Gilmore interpreta árias de óperas. O festival é uma realização do governo paraense com produção da São Paulo Imagem Data.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.