Macaulay Culkin é suposta vítima de Jackson

Promotores esperam há dez anos pelo que ganharam de um juiz: o direito de falar aos jurados sobre acusações passadas de abuso sexual contra o cantor Michael Jackson, mas que nunca foram a julgamento. O ex-astro mirim Macaulay Culkin é uma das cinco supostas vítimas de abuso sexual do astro cujos casos serão relatados ao júri. Numa grande derrota para a defesa do astro pop, o juiz Rodney S. Melville decidiu ontem que a acusação poderá usar provas de que Jackson molestou ou tentou molestar cinco garotos. A porta voz de Culkin, Michelle Bega, disse que o astro de Esqueceram de Mim não vai testemunhar. "Ele não está envolvido com os procedimentos (o julgamento) e nós não esperamos que isso mude", disse. "Macaulay Culkin já disse várias vezes que nunca foi molestado", disse o advogado de defesa de Jackson, Thomas Mesereau Jr. A indicação de Culkin, de 24 anos, como testemunha de acusação surpreendeu, pois o nome do ator apareceu na primeira lista de testemunhas da defesa, divulgada no começo do julgamento. Além de Culkin, os outros quatro garotos são Jordy Chandler, hoje com 23 anos, que teria feito um acordo de US$ 25 milhões com Jackson em 1993; Jason Francia, também com 23 anos, o único que concordou em testemunhar, cuja mãe teria recebido US$ 2,4 milhões em 1993 após ele dizer ter sido molestado em 1990; Wade Robson, de 22 anos, que admitiu ter dormido com Jackson em 1993, mas apenas "como amigo"; e Brett Barnes, de 23 anos, que conheceu Jackson no começo dos anos 1990 e tornou-se acompanhante dele por dois anos. Brett admitiu ter dividido a cama com o astro, mas disse que nenhum contato sexual ocorreu entre eles. Jackson parecia tranqüilo ao chegar à corte hoje, acenando para os fãs que gritavam para ele. Hoje, o psicólogo Stan J. Katz, que entrevistou o atual acusador de Jackson Gavin Arvizo, é esperado para testemunhar.Sneddon disse que pretende trazer as provas das acusações passadas em duas semanas. O juiz disse que vai dar instruções especiais ao júri antes de essas provas e testemunhos serem apresentados. Os advogados de Jackson lutaram, ontem, contra a permissão do uso de provas desses casos, dizendo que eles se baseavam em terceiros, muitos dos quais interessados no dinheiro de Jackson. "Como você pode permitir um desfile de terceiros quando não há vítimas?", perguntou Mesereau durante a discussão.A acusação alega que o depoimento de outras testemunhas vai mostrar que Jackson comete abusos em série. O promotor Tom Sneddon disse ao juiz que Jackson foi visto tocando inapropriadamente quatro crianças. Os supostos toques incluem beijos, abraços e colocar as mãos dentro das calças das crianças. Mesereau disse ao juiz que a defesa faria um "mini julgamento" para cada alegação que fosse feita. Jackson, de 46 anos, é acusado de abusar de um garoto de 13 anos em seu rancho Neverland entre fevereiro e março de 2003, de lhe ter dado bebidas alcoólicas e conspirar para manter a família do garoto presa em sua casa.Depois da decisão do juiz, para a qual Jackson não estava presente, o comediante George Lopez testemunhou sobre como ajudou o atual acusador de Jackson, o menino Gavin Arvizo, quando ele teve câncer. Lopez disse que chegou a pensar que o pai do garoto estava mais interessado no dinheiro que em ajudar o filho. O comediante disse que rompeu com a família por causa dos freqüentes e agressivos pedidos de ajuda do pai do garoto. Lopez é uma das testemunhas que a defesa listou como procuradas pela família do acusador em troca de dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.