Luciano Pavarotti quer voltar a cantar no ano que vem

O tenor Luciano Pavarotti, que passou por uma cuirurgia há duas semanas para a retirada de um tumor no pâncreas, está otimista e espera voltar a cantar no próximo ano, segundo informou o jornal La Stampa, de Turim. O jornal publicou, nesta segunda-feira, uma entrevista feita por telefone com o Pavarotti, que nestes dias está em sua casa em Nova York. "Quero terminar a minha turnê. Não posso dar datas precisas, porque dependo da opinião do médico, mas acho que poderei voltar (à turnê) no início do próximo ano", afirmou Pavarotti. O tenor explicou que encara sua doença com filosofia. "Olhe, em 12 de outubro completarei 70 anos, e eu tive tudo na vida. Se me tirarem tudo, estarei par a par com o bom Deus. Assim, está tudo bem até agora". Pavarotti também acredita que deverá voltar à Itália dentro de dez ou 15 dias. O tenor tem uma casa em Modena e em Pesaro, onde sua jovem mulher Nicoletta Mantovani, de 36 anos, e sua filha, Alice, o esperam. Pavarotti cancelou, no final de junho, uma série de concertos que faria no Reino Unido devido a problemas de saúde. Estava se preparando para sair de Nova York e apresentar concertos no Reino Unido quando os médicos descobriram o tumor no pâncreas. Como conseqüência do tratamento a que Pavarotti terá que ser submetido, todos os concertos deste ano foram cancelados, entre eles o show ?Encontro de Reis?, que reuniria Luciano Pavarotti e o ?Rei? Roberto Carlos, em 7 de outubro, em Belo Horizonte.O tenor fez sua estréia em La Boheme, de Puccini, em Reggio Emilia, na Itália, em 1961. A fama veio quando interpretou Toni em La Fille du Regiment, de Domenico Gaetano Maria Donizetti, no Metropolitan Opera, em Nova York, na década de 60. Junto com Plácido Domingo e José Carreras formou os Três Tenores, trio que se apresentou em mais de 34 concertos de 1990 a 2003. Eles cantaram juntos em quatro partidas finais da Copa do Mundo, em Roma (1990), Los Angeles (1994), Paris (1998) e Yokohama (2002). Atualmente, Pavarotti é um dos cantores de maior reconhecimento internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.