Lucas Santtana faz show com pressão percussiva

Animado, cantor e compositor fez citação de sucesso do funk

Renato Vieira, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2014 | 16h09

Lucas Santtana mostrou uma versão compacta do show que vem apresentando no Brasil e em festivais pelo mundo. Mas conseguiu empolgar a plateia do palco Interlagos do Lollapalooza. Escorado por Caetano Malta (baixo e guitarra) e Bruno Buarque (bateria e MPB), ele seguiu seu estilo: enveredou pelos ritmos percussivos, calcados em musica baiana,funk e reggae. Animado, Santtana dançou no palco e fez diversas citações a músicas de outros em sua apresentação, entre elas Blackout (Apaguem a luz/ Acenda seu celular), do Bonde do Tigrão.

Santtana fez um passeio representativo de sua discografia. Relembrou músicas de seu último CD, O Deus que Devasta Mas Também Cura, como Jogos Madrugais, e terminou sua apresentação com faixas de 3 Sessions In a Green House, gravado com a banda Seleção Natural em 2006. Pela Orla dos Velhos Tempos, gravada originalmente em 2000 pela Nação Zumbi, funcionou como homenagem ao grupo que se apresenta às 20h no mesmo palco Interlagos. Lycra-Limão fechou o show com seu tempero latino, embebido na programação de metais.

Apesar da formação mínima, o entrosamento entre Santtana, Malta e Buarque foi fundamental para que o show desse certo.  A cumplicidade entre os três era visível. Houve alguma ousadia, como a de utilizar em arranjo duas guitarras e uma bateria, retirando o baixo. Uma apresentação que, com seu tempero tropical(ista) - vale lembrar que Santtana é filho de Roberto Santana - produtor de Caetano Veloso e Gilberto Gil nos anos 1960, além de ser sobrinho de Tom Zé -, foi uma boa trilha sonora para o dia de sol e calor implacável em Interlagos.

Tudo o que sabemos sobre:
LollapaloozaLucas Santtana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.