FELIPE RAU/ESTADÃO
Lollapalooza FELIPE RAU/ESTADÃO

Lollapalooza Brasil será de 4 a 6 de dezembro

Empresa informou que as atrações principais Strokes, Guns' Roses e Travis Scott serão mantidas. Adiamento se deve à pandemia de coronavírus

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2020 | 17h47

Em virtude da pandemia de coronavírus, o Lollapaolooza Brasil, que estava previsto para abril, será realizado dias 4, 5 e 6 de dezembro, no mesmo Autódromo de Interlagos. A produção enviou um comunicado informando que as três atrações principais de cada dia (headliners) Guns'n Roses, The Strokes e Travis Scott confirmaram seus shows para dezembro. E que o line up completo será atualizado "o mais rápido".

Os ingressos que já foram vendidos ficam válidos para as novas datas ou poderão ser reembolsados. As informações de reembolso estão no site do festival. A mudança, segundo o comunicado, ocorreu por causa dos riscos de contágio pelo novo conoravírus. "A saúde e a segurança de nossos fãs, artistas, funcionários, parceiros e comunidade são a nossa prioridade."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Lollapalooza Brasil 2020: confira o line up por dia

Festival será realizado de 3 a 5 de abril, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, e terá como headliners Guns N’ Roses, Lana Del Rey e outros

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2019 | 11h40

Foi divulgado nesta segunda, 4, o line up do Lollapalooza Brasil 2020, que será realizado de 3 a 5 de abril, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. 

Em sua nova edição, o festival terá como headliners Guns N’ Roses e Lana Del Rey, na sexta, 3, Travis Scott e Martin Garrix, no sábado, 4, e no domingo, 5, The Strokes e Gwen Stefani. Boa parte dos shows deste ano serão de nomes que chegam pela primeira vez ao Brasil, como é o caso de Travis Scott, Rita Ora, Kacey Musgraves, Rex Orange County, LP, Illenium.

E está disponível o primeiro lote do Lolla Day, válido para um dia de festival, que custa a partir de R$ 340. Para quem quiser curtir o festival inteiro, o quarto lote do Lolla Pass (válido para os três dias), que custa a partir de R$ 892,50, também está à venda.

 

Veja os shows divididos por dia:

 

SEXTA-FEIRA – 3 DE ABRIL

 

Guns N’ Roses

Lana Del Rey

Cage The Elephant

James Blake

Alan Walker

Rezz

Chris Lake

Rita Ora

Rex Orange County

Perry Farrell’s Kind Heaven Orchestra

King Princess

Jaden Smith

Lauv

Idles

San Holo

Masego

Vinne

Jetlag

The Hu

Beowulf

Jaó

Barja

Edgar

 

SÁBADO – 4 DE ABRIL

Travis Scott

Martin Garrix

Brockhampton

The Lumineers

a Day To Remember

Emicida

Madeon

City And Colour

Ajr

Djonga

Denzel Curry

Silva

Mika

Chemical Surf

Two Feet

Boombox Cartel

Yungblud

Victor Lou

Terno Rei

Mc Tha

Ashibah

Clarice Falcão

Fractall X Rocksted

Wc no Beat & Ludmilla & Kevin o Chris & Haikaiss & Filipe Ret & Pk & Felp 22

 

DOMINGO – 5 DE ABRIL

 

The Strokes

Gwen Stefani

Armin Van Buuren

Vampire Weekend

Illenium

Lp

Charli Xcx

Kacey Musgraves

R3hab

Hayley Kiyoko

Pabllo Vittar

Goldfish

Kali Uchis

Cat Dealers

Evokings

Rashid

Wallows

Fancy Inc

Fresno

Malifoo

Menores Atos

Fatnotronic

509-E

SERVIÇO

Datas: 3, 4 e 5 de abril de 2020

Local: Autódromo de Interlagos - Avenida Senador Teotônio Vilela, 261 – Interlagos – São Paulo - SP

Classificação etária: Crianças abaixo de 05 anos: Não será permitida a entrada.

De 05 a 14 anos: Permitida a entrada acompanhado por pais ou responsáveis.

A partir de 15 anos: Permitida a entrada desacompanhados.

Menores de 18 anos não podem ir ao Lolla Lounge.

Acesso para deficientes, incluindo a opção da utilização do Kit Livre (componente motorizado, movido a bateria elétrica, que adapta qualquer cadeira de rodas manual em um triciclo motorizado, garantindo maior mobilidade)

 

Tudo o que sabemos sobre:
Lollapaloozamúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Lollapalooza Brasil sonda artistas para agendar novas datas em novembro

Depois de suspender edições no Chile e na Argentina, festival que seria realizado em abril estuda transferir datas por causa do novo coronavírus; casas de shows e artistas cancelam espetáculos

Guilherme Sobota, Julio Maria e Renato Vieira, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 20h04

O festival Lollapalooza, previsto para ser realizado em São Paulo nos dias 3, 4 e 5 de abril, pode ser adiado pela organização por causa da pandemia do novo coronavírus. A decisão deve seguir a determinação nas praças vizinhas Argentina e Chile, que anunciaram a transferência dos shows para o segundo semestre. A produção no Brasil não se pronunciou sobre as possíveis mudanças até o fechamento desta edição, mas o Estado apurou que artistas começaram a ser sondados para transferirem seus shows para novembro. 

No Chile e na Argentina, os shows seriam entre 27 e 29 de maio. “Estamos trabalhando para a reprogramação da edição 2020 do festival para a segunda metade do ano”, disse o comunicado a respeito dos festivais nos países vizinhos. “Diante desse fato sem precedente, nossa prioridade é preservar a saúde e segurança do público, artistas e equipe de trabalho, e acatar as medidas preventivas das autoridades públicas. Em breve, compartilharemos as datas através de nossa página oficial e nossas redes.”

Por enquanto, não existe no Brasil nenhuma orientação oficial do Ministério da Saúde para eventos com grande concentração de pessoas. O médico infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, Luis Fernando Aranha Camargo, contesta o efeito real de uma eventual proibição e ressalta que ir ou não é uma decisão individual. “Se pensar racionalmente, é óbvio: quanto menos gente ao redor, menos concentração, menos risco de transmissão”, aponta. “Mas se o festival ocorrer, é impossível controlar”, diz Camargo. “A pessoa pode usar uma máscara, mas aí não vai cantar?” Em situações assim, aponta, minimizar o risco de contágio é praticamente impossível.

Algumas empresas do setor já tomam decisões radicais. A revista norte-americana Billboard apurou que a Live Nation, a maior promotora de shows do mundo, já trabalha para adiar ou suspender todas as suas turnês até o fim de março, dentro e fora dos EUA. Contatada via assessoria de imprensa, a Live Nation Brasil não quis comentar.

Segundo a revista, a empresa disse aos funcionários nesta quinta que vai adiar shows e turnês de arena até o fim do mês, com algumas exceções ainda não confirmadas. Billie Eilish, Jason Aldean, Zac Brown Band, Cher, Kiss, Post Malone e Tool são alguns dos artistas com turnês que podem ser afetados nos EUA. No Brasil, um show que poderia ser afetado pela medida é do cantor de K-pop Eric Nam, marcado para o dia 25 de março, no Cine Joia, em São Paulo. Não há, porém, anúncio oficial. O show do Backstreet Boys, também trazido pela Live Nation, está confirmado para ocorrer no Allianz Parque, no próximo domingo, 15.

As casas de shows começam a ter trabalho com suas programações. O guitarrista Sammy Hagar, que faria um show no Espaço das Américas no próximo dia 22 com o projeto The Circle, foi, segundo um comunicado da casa, “irredutível” quanto ao cancelamento de seu show. O site está instruindo os fãs para a devolução de ingressos.

O Tom Brasil, por meio de seu sócio-diretor Christian Tedesco, não informou quais shows podem ser cancelados, mas disse que esta é uma grande preocupação no momento, “pois o setor de entretenimento, que emprega mais do que a indústria automobilística, não conta com nenhuma ação protetiva em situações assim”.

Outros festivais se preparam para agir. Ainda sem anunciar sua programação ou vender ingressos, o Rio Montreux Jazz Festival, festival de jazz sob a bandeira poderosa do festival suíço Montreux Jazz Festival, está previsto para fim de maio, na região do Pier Mauá, no Rio. Seu idealizador, Marco Mazzola, diz que fará com sua equipe uma reunião na próxima terça. Se não teme prejuízos? “Prejuízo está ao lado de quando você quer fazer algo contra o que está acontecendo.”

Tedesco conta que a casa está contratando profissionais adicionais para “somar à nossa brigada a fim de higienizar a casa durante os shows limpando, além de banheiros, mesas, balcões, corrimãos e maçanetas, antes e depois dos espetáculos.” 

Poder público

Em entrevista ao Estado, o secretário de Cultura Sérgio Sá Leitão diz que não há, até o momento, nenhuma determinação do governo para que os eventos públicos nos aparelhos públicos sejam cancelados. “Todos os cenários foram cogitados por uma comissão que está sendo presidida pelo doutor David Uip. Vamos seguir as determinações do governo. Mas precisamos evitar o pânico, que pode ser tão perigoso quanto a doença.” Questionado se compareceria ao show dos Backstreet Boys no domingo, ele disse que não. “Mas vou à pré-estreia do musical de Donna Summer.”

Tudo o que sabemos sobre:
epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Coronavírus na cultura: veja shows, filmes, exposições, lançamento de livros e festivais adiados

Lollapalooza Argentina e Chile já foram adiados, bem como a estreia de 'Velozes e Furiosos 9' e 'Um Lugar Silencioso - Parte II'

Redação, O Estado de S. Paulo

12 de março de 2020 | 19h28

O surto do novo coronavírus tem causado um terremoto na indústria do entretenimento ao redor do mundo, e no Brasil não é diferente: shows foram adiados ou cancelados, filmes tiveram suas datas de estreia alteradas e museus também mudaram sua programação.

Veja abaixo uma lista dos eventos alterados e locais com programação suspensa por conta da epidemia de Covid-19:

Festivais

No Brasil

  • Festival de Curitiba

A produção do Festival de Curitiba informou, nesta quinta, 12, que vai adiar a programação de sua mostra para evitar a disseminação do Covid-19, o novo coronavírus. A 29ª edição seria realizada de 24 de março a 5 de abril. O evento será reagendado entre os dias 1º e 13 de setembro de 2020. 

  • Festival Música em Trancoso

O Mozarteum Brasileiro informa que decidiu cancelar a realização de todas as atividades da 9ª edição do Festival Música em Trancoso, em função da pandemia do Covid 19

  • SP-Arte

A 16.ª edição da SP-Arte, a maior feira de arte do Brasil, será suspensa por conta do surto do novo coronavírus.

No exterior

  • Lollapalooza Argentina e Chile

Devido à pandemia de coronavírus e seguindo o que foi decidido pela Argentina nesta quinta, 12, o Chile também decidiu adiar sua edição 2020 do festival Lollapalooza, que seria realiado dias 25, 27 e 29 de março, em Santiago. Organização informa que está procurando nova data para a realização do festival, no segundo semestre. 

  • Coachella (Califórnia, EUA)

O Coachella Valley Music and Arts Festival anunciou nesta terça-feira, 10, que o evento foi adiado para outubro de 2020 por conta do surto do novo coronavírus.

  • SXSW (Texas, EUA)

O festival de música, cinema e tecnologia South by Southwest (SXSW), realizado tradicionalmente na cidade de Austin, Texas, nos Estados Unidos, teve sua edição de 2020 cancelada por conta do coronavírus.

  • Bienal de Arquitetura de Veneza

A Bienal de Arquitetura de Veneza, considerado o maior evento mundial do setor e que estava prevista para maio, será adiada para agosto.

Shows

No Brasil

  • Maria Bethânia

A cantora Maria Bethânia decidiu cancelar o show que faria em São Paulo neste sábado, 14.

  • Backstreet Boys

Show da boy band Backstreet Boys, que aconteceria no Allianz Parque, no domingo, 15, foi adiado

  • Elza Soares

A cantora Elza Soares cancelou a apresentação que faria na Casa Natura Musical, em São Paulo, neste sábado, 14.

  • Mos Def

Em meio a diversos cancelamentos ou adiamentos de shows e festivais, o rapper americano yasiin bey (conhecido anteriormente como Mos Def) cancelou sua participação no Nublu Festival, em São Paulo, na sexta-feira, 13.

  • Lindsey Stirling

A americana Lindsey Stirling comunicou o cancelamento de seu show em São Paulo, no UnimedHall, que aconteceria no dia 19 de março.

  • The Offspring e Pennywise

As bandas, que fariam show na Audio, em São Paulo, no dia 22 de março, anunciaram o adiamento das apresentações por tempo indeterminado.

No exterior

  • Guns N' Roses

A banda americana Guns N' Roses cancelou o show que faria na Costa Rica na próxima quarta-feira, 18, por causa do coronavírus. Segundo a banda, a decisão foi tomada por orientação das autoridades locais.

  • The Who no Reino Unido

A banda britânica de rock The Who cancelou uma turnê que faria pelo Reino Unido devido à pandemia de coronavírus, apenas quatro dias antes de subir ao palco em Manchester.

  • Pearl Jam nos EUA

O Pearl Jam publicou em suas redes sociais uma nota dizendo que vai adiar a primeira perna da turnê de lançamento do novo disco Gigaton. O comunicado cita os problemas com o coronavírus vividos em Seattle e a preocupação com os fãs para justificar a decisão.

  • BTS na Coreia do Sul

O BTS cancelou quatro shows que faria em abril em um estádio de Seul, capital de seu país de origem, por causa do avanço do coronavírus.

Filmes e cinema

  • Velozes e Furiosos 9

A Universal empurrou em quase um ano o lançamento de Velozes e Furiosos 9: de maio de 2020 para abril de 2021.

  • Um Lugar Silencioso – Parte II

A Paramount Pictures mudou a data de estreia do filme de John Krasinski no mundo todo.

  • A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais

A Galeria Distribuidora e a Santa Rita Filmes decidiram suspender a estreia dos filmes sobre o caso de Suzane von Richtofen. 

  • 007 - Sem Tempo Para Morrer

A estreia do próximo filme da saga de James Bond, 007 - Sem Tempo para Morrer foi adiada de abril para novembro.

  • Trolls 2 

Em respeito aos fãs, a Universal Pictures anuncia que Trolls 2 (Trolls World Tour) não será mais lançado em 9 de abril. Uma nova data de lançamento será anunciada em breve pelo estúdio.

  • Três Verões

A Vitrine filmes anunciou o adiamento do lançamento do filme de Sandra Kogut, estrelado por Regina Casé.

Teatro

  • Broadway, Nova York (EUA)

A Broadway League, em Nova York, anunciou nesta quinta-feira, 12, a suspensão imediata de todas as aprensetações no que se considera a Meca do teatro mundial, como medida de contenção do novo coronavírus. As apresentações serão retomadas, a princípio, no dia 13 de abril de 2020.

  • Teatro Unimed (Brasil)

Estão suspensas, temporariamente, as sessões do espetáculo São Paulo. A devolução do valor pago pelos ingressos será realizada pelos canais de compra utilizados e, assim que possível, será comunicada nova data de estreia.

  • Cultura Artística

Todas as atividades, incluindo as apresentações da Temporada de Concertos e da Série de Violão, foram suspensas pelo teatro Cultura Artística.

Eventos literários

  • Feira Literária de Bolonha

Depois de ser adiada pela organização, a feira de literatura infantil e juvenil de Bolonha – a principal do mundo – acaba de ser cancelada, por causa do avanço do coronavírus na Itália. 

  • Primavera Literária Brasileira

A Primavera Literária Brasileira, que promove encontros entre escritores brasileiros e alunos de português de escolas e universidades estrangeiras, acaba de cancelar a edição que seria realizada nos Estados Unidos em abril e a que seria promovida em junho na Alemanha, por causa do coronavírus. 

  • Feira do Livro de Londres

Os organizadores da Feira do Livro de Londres anunciaram que o evento programado para os dias 10, 11 e 12 de março foi cancelado para evitar a disseminação do coronavírus.

  • Salão do Livro de Paris

O Salão do Livro de Paris, principal feira do gênero na França e realizado anualmente na capital do país, foi cancelado devido às medidas adotadas pelo governo francês

Museus

  • Masp

O Masp decidiu manter suas portas abertas, mas anunciou, neste sábado, 14, uma série de restrições em suas atividades, incluindo palestras, oficinas e cursos, além de reduzir o número de visitantes admitidos. 

  • CCBB

O CCBB, que atualmente recebe a grande exposição Egito Antigo: do cotidiano à eternidade, com obras vindas do Museu Egípcio de Turim, decidiu suspender todas as suas atividades.

  • Centro Cultural Fiesp

O Centro Cultural Fiesp informa que suspenderá todas as suas atividades por tempo indeterminado a partir desta sexta-feira, 13 de março, como uma medida de precaução, tendo em vista o aumento de casos do Coronavírus no país.

  • Instituto de Arte Contemporânea (IAC)

O IAC comunicou o adiamento da abertura de sua nova sede em São Paulo, que seria realizada no dia 14 de março. A nova data ainda não foi anunciada.

  • FAMA Museu

A abertura da exposição Tarsila: estudos e anotações, marcada para este sábado, 14, no FAMA Museu, em Itu, no interior paulista, foi adiada em função do coronavírus. A nova data para abertura da mostra será decidida nos próximos dias, com base nas orientações das autoridades de saúde. 

  • Exposição de Federico Fellini

O evento de inauguração da exposição “O Centenário Fellini no mundo”, que ocorreria no dia 19 de março, foi desmarcado. Entretanto, a exposição está mantida e sua visitação vai de 20 de março a 01 de maio no espaço expositivo do Banco do Brasil, na Avenida Paulista. Com fotos, desenhos, documentos e figurinos originais de seus filmes, a exposição, que tem os italianos Alessandro Nicosia e Vincenzo Mollica como os principais curadores, contará a história de Fellini oferecendo um panorama de toda a sua produção artística. 

  • Exposição sobre resistência ao nazismo

A abertura da exposição “Até o Último Suspiro” prevista para este domingo, dia 15, no Memorial da Imigração Judaica e do Holocausto, foi suspensa.

  • IMS - Instituto Moreira Sales

O IMS receberia a chilena Paz Errázuriz para a abertura da exposição dedicada à obra dela, mas a fotógrafa cancelou a viagem ao Brasil. A mostra será aberta ao público na terça, 17, conforme previsto, porém, sem evento de abertura. As atividades regulares nas três setes do IMS estão mantidas. O Festival serrote, no IMS Paulista, está mantido, com apenas uma alteração: a mesa Contra a intolerância religiosa, com Henrique Vieira e Luiz Antonio Simas, prevista para sábado (14), às 15h, foi cancelada. O restante da programação permanece confirmada. O evento será transmitido ao vivo pelo Facebook.

  • WME Conference 2020

O WME, em respeito ao público, à saúde das artistas e demais profissionais, decidiu adiar a WME Conference 2020, que aconteceria nos dias 27, 28 e 29 de março, no CCSP, em São Paulo. Novas datas devem ser divulgadas posteriormente. Ao público que já havia comprado ingressos através da plataforma Sympla, os bilhetes continuam valendo para depois.

  • Seminário no Sesc Pinheiros

O Sesc Pinheiros suspendeu o Seminário Internacional Arte, Palavra e Leitura - Por uma Educação Transformadora e todas as atividades relacionadas ao evento, que estava previsto para os dias 17 a 19 de março. Uma delas seria o lançamento da série Paulo Freire, Um Homem do Mundo. 

  • Lançamento de livro

o Instituto Vladimir Herzog tomou a decisão de adiar o lançamento do livro "Heroínas desta História" que estava marcado para a próxima terça, 17, na Unibes Cultural.

  • Premiações Culturais

A organização da 7ª Edição dos Prêmios Platino XCaret anuncia a suspensão da cerimônia, porém, o processo de votação online continuará normalmente. A data da divulgação dos ganhadores será determinada oportunamente. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Prefeitura de SP suspende todos os eventos públicos da cidade

Suspensões são por tempo indeterminado e válidas para eventos que poderiam reunir mais de 500 pessoas

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2020 | 17h51
Atualizado 13 de março de 2020 | 21h33

SÃO PAULO - Como medida para evitar a propagação do novo coronavírus, estão suspensos eventos promovidos pelo poder público com aglomeração de pessoas no Estado e na cidade de São Paulo por tempo indeterminado. "Para eventos privados, há uma recomendação para que eles sejam evitados neste momento", informou a Prefeitura, por nota, citando eventos com mais de 500 pessoas. 

No município, o cancelamento foi uma decisão do prefeito em exercício, Eduardo Tuma (PSDB), a pedido do prefeito Bruno Covas (PSDB). Covas está licenciado por dois dias, e está no interior do Estado com seu filho. 

Em uma primeira nota, corrigida, a Prefeitura informava que a medida atingia "todos os eventos de massa (grandes eventos) governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais e religiosos com concentração próxima de pessoas na cidade de São Paulo". Mas a determinação atinge apenas eventos promovidos pelo poder público.

A partir deste sábado, 14, os eventos promovidos pelo Estado que poderiam reunir aglomerações com mais de 500 pessoas também estão suspensos por tempo indeterminado. A mesma restrição deve ser seguida em eventos particulares de qualquer natureza – cultural, esportiva, religiosa.

“Nossa posição é clara. A recomendação é que nenhum evento com mais de 500 pessoas seja realizado. Qualquer evento e de qualquer natureza. Até 500 pessoas não há restrições, acima há”, afirmou o governador João Doria.

Outras medidas na capital

Nesta sexta, a Prefeitura anunciou uma série de medidas auxiliares, o que inclui a interrupção gradual de aulas na rede municipal de ensino. A medida segue orientação do governo do Estado. "Na semana de 16 a 23, as famílias terão tempo para se adaptar à medida e só se ausentarão aqueles alunos que tiverem onde ficar no horário das aulas. Não se recomenda que esses alunos fiquem com avós, já que a população idosa é a de maior risco. A partir do dia 23, então, as aulas serão suspensas por tempo indeterminado", informou a nota da gestão Covas.

Terminas de ônibus e áreas administrativas desses locais terão álcool em gel, com divulgação de mensagens sonoras sobre a prevenção da doença.  Há recomendação para as empresas de ônibus reforçarem a limpeza dos coletivos municipais, "em especial nos pontos de contato com as mãos dos usuários e também no sistema de ar condicionado". 

Torneios esportivos, jogos, campeonatos e outras atividades dos centros esportivos da Prefeitura também serão interrompidos por tempo indeterminado, cancelando inclusive atividades já programadas. "Os servidores dos centros esportivos também deverão orientar os munícipes que frequentam os equipamentos públicos nos fins de semana a não praticarem atividades em grupo. Aglomerações devem ser evitadas. As piscinas vão estar fechadas no sábado e domingo. Às segundas-feiras elas não funcionam." Os centros esportivos, entretanto, não serão fechados.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Também permanecem abertos, mas sem atividades, os centros culturais. "Todos os eventos promovidos pela Secretaria Municipal da Cultura, incluindo aqueles que ocorrem nos equipamentos culturais municipais, serão adiados por tempo indeterminado", informa a Prefeitura. Espetáculos e outros programas que já haviam sido contratados serão remarcados, de acordo com a nota, para evitar prejuízos aos artistas. 

Ainda segundo a Prefeitura, "a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente também suspendeu, por tempo indeterminado, eventos promovidos por sua iniciativa nos Parques Municipais, com a finalidade de evitar grande aglomeração de pessoas. Quanto aos eventos propostos por empresas privadas e do Terceiro Setor, foram adiados por inciativa dos próprios proponentes." Nos parques, haverá recomendação para evitar aglomerações e cartazes de alerta com informações sobre prevenção à doença. 

Outras medidas no Estado

O governador João Doria confirmou, nesta sexta-feira, 13, que São Paulo vai intensificar as medidas de enfrentamento ao novo coronavírus. Em acordo com o Ministério da Saúde, ficou definido que haverá interrupção gradual das aulas na rede estadual de ensino a partir de segunda-feira, 16, além do adiamento de eventos públicos ou privados que reúnam 500 ou mais pessoas e a suspensão por 6o dias das férias de funcionários da rede estadual da Saúde.

As aulas na rede estadual serão interrompidas gradualmente a partir do dia 16 até o próximo dia 23, quando a paralisação será total nas unidades de ensino. O governo de São Paulo recomenda que a medida também seja adotada por todas as escolas particulares do Estado. Na semana que vem, as escolas permanecerão abertas para receber as famílias dos alunos e oferecer orientações.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.