Rafael Arbex/ Estadão
Rafael Arbex/ Estadão

Lollapalooza 2018: Mahmundi, 'fã de domingos', transforma o dia em noite no festival 

Artista carioca se apresentou no palco Axe, no início de tarde deste domingo, 25, no Autódromo de Interlagos 

Pedro Antunes , O Estado de S.Paulo

25 Março 2018 | 13h34

O dia virou noite, ao menos esteticamente, ao som de Mahmundi, no início da tarde deste domingo, 25, no Lollapalooza 2018, realizado no Autódromo de Interlagos. Com beats e clima de festinha, a artista carioca fez do sol a sua lua. 

Tudo parte da leveza dos versos de Mahmundi, sempre de encontro com sentimentos de fácil identificação, seu amor é escancarado, sem jogos, sem silêncios demasiados. "Fiz um disco pra me lembrar de ti", canta ela na deliciosa Hit. Ou "te espero, não vá", em Azul. Ou, ainda, "leve, me leve / eu ficarei mais leve", de Leve.

** Lollapalooza 2018: The National expõe a ferida da insignificância sem medo da dor

Com um disco lançado e outro próximo de sair, Mahmundi faz uso da candura dos seus versos de amores leves, embebidos de muitos teclados e sintetizadores, como se ela viesse de algum ponto dos anos 1980, teletransportada diretamente para 2018. É uma festa de soul, de ginga, de amores leves. 

** Lollapalooza 2018: Pearl Jam prova que continua com tudo no lugar

Seu discurso, como tem sido dentre os artistas brasileiros, também miram o atual estado do País e do mundo. Falou de racismo, de feminismo, de igualdade. Deixou, pendurada em um tripé, uma camiseta com a estampa de "lute como Marielle", em memória à Marielle Franco, a vereadora do Rio de Janeiro morta neste mês. 

 

Mais conteúdo sobre:
Lollapalooza Mahmundi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.