Fernando Bezerra/ EFE
Fernando Bezerra/ EFE

Lollapalooza 2017: Rock de brinquedo do Two Door Cinema Club promove catarse indie no festival

Power trio irlandês levantou a multidão com hits pops e dançantes

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

26 Março 2017 | 20h07

O Two Door Cinema Club não precisou se esforçar muito para levar uma multidão para o Palco Skol na tarde deste domingo, 26, no Autódromo de Interlagos. Com canções alegres e de ritmos contagiantes, o power trio cantou sucessos de seus discos mais conhecidos, Tourist History (2010) e Beacon (2012). A banda ainda aproveitou para incluir algumas canções de Gameshow, álbum lançado no fim do ano passado. 

Após um hiato de três anos longe dos palcos e do estúdio, os irlandeses parecem ter se reencontrado com o sucesso.  Em Gameshow, todavia, o trio expõe um lado mais maduro e consistente, como se o chamado 'rock de brinquedo' não mais suportasse as dores latentes do mundo e precisasse urgentemente passar por uma metamorfose. "Brasil, é bom estar de volta e se apresentar no Lollapalooza. Nós esperamos voltar aqui novamente", disse o vocalista Alex Trimble, que agora adota o visual de cabelos longos. O Two Door Cinema Club já havia se apresentado na edição de 2013 do festival.

Formada em 2007 no Condado de Down, na Irlanda do Norte, o Two Door Cinema Club, é a banda que mais representa a essência musical do Lollapalooza. Hits como Something Good Can Work, Next Year, Come Back Home e This is the Life promoveram uma verdadeira catarse indie no Autódromo de Interlagos. Se poucas horas antes o Metallica quebrava tudo com riffs pesados, que arrastou mais de 100 mil pessoas para o Autódromo de Interlagos, segundo a organização do evento, no último sábado, 25, o Two Door Cinema Club surgiu no festival com uma proposta antagônica e mais próxima do DNA do Lolla. Se deram bem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.