REUTERS/Mario Anzuoni
A cantora de R&B Lizzo REUTERS/Mario Anzuoni

Lizzo, estrela do R&B, irá produzir programa para serviço de streaming da Amazon

Cantora conquistou sucesso em participação no filme ‘As Golpistas’

Agência, Reuters

07 de agosto de 2020 | 08h30

Vencedora do Grammy e estrela do R&B Lizzo assinou um contrato para produzir programas televisivos para o Prime Video, serviço de streaming de vídeo da Amazon.com, anunciou a cantora nesta quinta-feira, 6. A artista, de 32 anos, conhecida pelos hits Good as Hell e Juice teve um ano de ascensão em 2019 com sucessos musicais e uma participação no filme As Golpistas.

“Estou muito empolgada em compartilhar histórias com vocês”, disse Lizzo em uma chamada por vídeo sediada pelo grupo industrial de TV por assinatura CTAM.

Serviços de streaming desde a Netflix Inc à Walt Disney e outros estão competindo para atrair grandes celebridades enquanto batalham por audiências digitais. “Lizzo tem uma perspectiva tão única e estamos empolgados para ouvir suas ideias para novos conteúdos”, afirmou Jennifer Salke, diretora da Amazon Studios, em nota oficial.

Tudo o que sabemos sobre:
LizzomúsicatelevisãoAmazonstreaming

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Lizzo domina indicações ao Grammy

Arcebispo emérito não poupa elogios; atual cardeal de SP diz que é cedo para análises

Edison Veiga - O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2013 | 02h09

D. Claudio Hummes e d. Odilo Scherer, respectivamente cardeal-arcebispo emérito e atual cardeal-arcebispo de São Paulo, expressam opiniões diferentes sobre o pontificado de Francisco. Enquanto o primeiro derrama elogios ao velho amigo, Scherer adota um discurso mais contido, no qual seria preciso tempo para interpretar os discursos e as ações do papa argentino.

Hummes, porém, é muito próximo de Francisco. Em reuniões oficiais no Vaticano, como o último conclave, o cardeal brasileiro e o argentino Jorge Bergoglio sentavam-se lado a lado nos últimos anos. "Acabei me tornando um grande amigo dele. Ele já o disse (que são amigos), está dito", resumiu o brasileiro, em evento realizado no fim do mês passado no Colégio de São Bento, na região central de São Paulo.

A amizade de ambos foi demonstrada em gestos públicos importantes - quando Bergoglio foi apresentado como papa, em 13 de março, fez questão de que Hummes estivesse ao seu lado - o brasileiro teria sido o mentor do nome Francisco. E deve se manifestar em parcerias políticas - Hummes é cotado para assumir um posto estratégico na administração da Igreja, ainda neste semestre, conforme antecipou o Estado na semana passada.

De linha progressista, Hummes é admirador confesso de Bergoglio, desde antes de o argentino se tornar Francisco. "Ele pretende orientar a Igreja, certamente", afirmou o cardeal ao Estado. Quando a reportagem o questionou sobre a possibilidade de mudanças em questões como divórcio, celibato e homossexualidade, Hummes disse que o papa deve trabalhar "em todas as grandes questões". "São temas difíceis e bastante discutidos. Ele não faz disso algo que não será tocado. Para Francisco não existem temas que não devam ser tocados. Ele quer uma Igreja aberta. Não existem temas proibidos."

Sucessor de Hummes na administração da Arquidiocese de São Paulo e conhecido por uma linha mais conservadora, d. Odilo Scherer, apontado como um dos favoritos a assumir o trono de Pedro no último conclave, é mais cauteloso - sobretudo ao compará-lo com Bento XVI. "É evidente que um não é o outro, e cada papa transmite para o pontificado aquela que é a marca de sua personalidade. Ainda é cedo para fazermos análises", afirmou ao Estado.

"O papa Francisco tem um jeito muito simples, mas muito direto. Está preocupado com a autenticidade, a genuinidade das coisas", avaliou Scherer, para quem Bergoglio tem agradado o povo brasileiro. "Ele vem conquistando a simpatia de todos e já entrou no coração dos brasileiros por seu jeito direto de se comunicar, mas ainda é preciso avaliar o peso que tem o 'fator novidade' nas análises", disse Scherer, mais uma vez ao adotar posicionamento cauteloso.

Pós-Francisco. Hummes, por outro lado, acredita que o novo papa devolveu aos católicos o ânimo de praticar a fé. "Agora, todos estão de cabeça erguida, confiantes de que o papa vai resolver os problemas que estão aí", disse. Para ilustrar a situação atual da Igreja, ele relembra a parábola do bom pastor, aquele que tem cem ovelhas e, quando uma se desgarra, corre atrás dela. "Atualmente, temos uma só em casa e ficamos cuidando dela. É preciso buscar as 99 que estão perdidas", disse.

Sobre a amizade com Francisco, Hummes relembrou a Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, realizada em Aparecida, em 2007. Na ocasião, ambos trabalharam na mesma comissão e tiveram de produzir o relatório final. "Foram quase três semanas de trabalho intenso, muitas vezes madrugada adentro."

Hummes avalia que os pronunciamentos do papa, que têm chamado tanto a atenção pela simplicidade e pelo conteúdo, são "óbvios" - dentro do que se espera como mensagem cristã. "Mas a capacidade que ele tem de passar essas mensagens de modo incisivo e a maneira como ele fala, com autoridade, resultam em eficiência na comunicação", analisou. "Ele é isso: um papa que não deve construir muros, mas pontes. Ponte até os pobres, ponte até a cultura de hoje, ponte até as outras religiões. Papa Francisco, jesuíta como é, acredita no diálogo."

Tudo o que sabemos sobre:
papapapa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Lizzo, Billie Eilish e Lil Nas X lideram indicações ao Grammy 2020; veja lista

Veja os indicados nas principais categorias do Grammy; cerimônia de premiação será em janeiro

Redação, O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2019 | 13h39

Foram anunciados nesta quarta-feira, 20, os indicados ao Grammy 2020. A artista pop Lizzo, com 8, e Billie Eilish, que faz show no Brasil em 2020, e o rapper Lil Nas X, com 6 cada um, lideram a lista de indicados da mais importante premiação musical do mundo.

Os três, inclusive, disputam a categoria de artista revelação. Ao lado deles estão Rosalía, Black Pumas, Maggie Rogers, Tank and Da Bangas e Yola. E também concorrem o prêmio de melhor gravação e melhor disco do ano.

Artistas como Lady Gaga, Taylor Swift, que também se apresenta no Brasil no ano que vem, Ariana GrandeBeyoncéThe Cranberries e Gustavo Dudamel também concorrem ao Grammy 2020

A cerimônia de premiação será realizada no dia 26 de janeiro, em Los Angeles.

Veja os indicados ao Grammy 2020 nas principais categorias

Música do Ano

  • Always Remember Us This Way, Lady Gaga
  • Bad Guy, Billie Eilish,
  • Bring My Flowers Now, Tanya Tucker
  • Hard Place, H.E.R
  • Lover, Taylor Swift
  • Norman F***ing Rockwell, Lana Del Rey
  • Someone You Loved, Lewis Capaldi
  • Truth Hurts, Lizzo

     

Álbum do Ano

  • i,i, Bon Iver
  • Norman F***ing Rockwell, Lana Del Rey
  • When We All Fall Asleep, Where Do We Go, Billie Eilish
  • Thank U, Next, Ariana Grande
  • I Used To Know Her, H.E.R
  • 7, Lil Nas X
  • Cuz I Love You, Lizzo
  • Father Of The Bride, Vampire Weekend

Gravação do Ano

  • Hey, Ma, Bon Iver
  • Bad Guy, Billie Eilish
  • 7 Rings, Ariana Grande
  • Hard Place, H.E.R.
  • Talk, Khalid
  • Old Town Road, Lil Nas X & Billy Ray Cyrus
  • Truth Hurts, Lizzo
  • Sunflower, Post Malone & Swae Lee

Artista Revelação

  • Billie Eilish
  • Lizzo
  • Rosalía
  • Lil Nas X
  • Black Pumas
  • Maggie Rogers
  • Tank and Da Bangas
  • Yola

Melhor Performance Pop Solo

  • Spirit, Beyoncé
  • bad guy, Billie Eilish
  • 7 rings, Ariana Grande
  • Truth Hurts, Lizzo
  • You Need to Calm Down, Taylor Swift

Melhor Performance Pop Duo/Grupo

  • Boyfriend, Ariana Grande & Social House
  • Sucker, Jonas Brothers
  • Old Town Road, Lil Nas X & Billy Ray Cyrus
  • Señorita, Shawn Mendes & Camila Cabello

Melhor Álbum de Pop Vocal

  • The Lion King: The Gift, Beyoncé
  • When We All Fall Asleep, Where Do We Go, Billie Eilish
  • Thank U, Next, Ariana Grande
  • No. 6 Collaborations Project, Ed Sheeran
  • Lover, Taylor Swift

Melhor Clipe do Ano

  • We’ve Got To Try, The Chemical Brothers
  • This Land, Gary Clark Jr.
  • Cellophane, FKA twigs
  • Old Town Road (Official Movie), Lil Nas X & Billy Ray Cyrus
  • Glad He’s Gone, Tove Lo

Melhor Música de Rock

  • Fear Inoculum — (Tool)
  • Give Yourself A Try — (The 1975)
  • Harmony Hall — (Vampire Weekend)
  • History Repeats — (Brittany Howard)
  • This Land — (Gary Clark Jr.)

Melhor Álbum de Rock

  • Amo, Bring Me The Horizon
  • Social Cues, Cage The Elephant
  • In The End, The Cranberries
  • Trauma, I Prevail
  • Feral Roots, Rival Sons

Melhor Música R&B

  • Could’ve Been, H.E.R. Ft. Bryson Tiller
  • Look At Me Now, Emily King
  • No Guidance, Chris Brown Ft. Drake
  • Roll Some Mo, Lucky Daye
  • Say So, Pj Morton Ft. Jojo

Melhor Álbum Urban Contemporâneo

  • Apollo XXI, Steve Lacy
  • Cuz I Love You (Deluxe), Lizzo
  • Overload, Georgia Anne Muldrow
  • Saturn, Nao
  • Being Human In Public, Jessie Reyez

Melhor Álbum Latino

  • Vida, Luis Fonsi
  • 11:11, Maluma
  •  Montaner, Ricardo Montaner
  •  #ELDISCO, Alejandro Sanz
  • Fantasia, Sebastian Yatra

Melhor performance de orquestra

  • Buckner: Symphony nº9, Manfred Honeck (Pittsburgh Symphony Orchestra)
  • Copland: Billy The Kid; Grohg, Leonard Slatkin (Detroit Symphony Orchestra)
  • Norman: Sustain, Gustavo Dudamel (Los Angeles Philharmonic)
  • Transatlantic, Louis Langrée (Cincinnati Symphony Orchestra)
  • Wienberg: Symphonies n. 2 & 21, Mirga Gražinytė-Tyla (City Of Birmingham Symphony Orchestra & Kremerata Baltica)

Melhor Gravação de Ópera

  • Benjamin: Lessons in Love & Violence, George Benjamin; Stéphane Degout, Barbara Hannigan, Peter Hoare & Gyula Orendt; James Whitbourn (Orchestra Of The Royal Opera House)
  • Berg: Wozzeck, Marc Albrecht; Christopher Maltman & Eva-Maria Westbroek; François Roussillon (Netherlands Philharmonic Orchestra; Chorus Of Dutch National Opera)
  • Charpentier: Les Arts Florissants; Les Plaisirs de Versailles, Paul O'Dette & Stephen Stubbs; Jesse Blumberg, Teresa Wakim & Virginia Warnken; Renate Wolter-Seevers (Boston Early Music Festival Chamber Ensemble; Boston Early Music Festival Vocal Ensemble)
  • Picker: Fantastic Mr. Fox, Gil Rose; John Brancy, Andrew Craig Brown, Gabriel Preisser, Krista River & Edwin Vega; Gil Rose (Boston Modern Orchestra Project; Boston Children's Chorus)
  • Wagner: Lohengrin, Christian Thielemann; Piotr Beczała, Anja Harteros, Tomasz Konieczny, Waltraud Meier & Georg Zeppenfeld; Eckhard Glauche (Festspielorchester Bayreuth; Festspielchor Bayreuth)

  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.