Livro revela intimidade de Eminem

O nome de Eminem vai estar ainda mais associado a escândalos nos próximos tempos. O rapper mais famoso dos Estados Unidos atualmente vai ser assunto de uma biografia escrita por seu ex-guarda-costas, Byron Williams, que garante que ele é viciado em drogas e sexo. E que se aproveita da fama para conquistar garotas menores de idade. É mais um capítulo na "novela" que se transformou a vida do artista, que está sendo processado pela mãe, pela esposa e por porte ilegal de armas.Eminem, cujo nome verdadeiro é Marshal Mathers, trabalhava em um restaurante de Detroit ganhando salário mínimo quando lançou seu primeiro disco, The Slim Shady, em 1998. Criado no estacionamento de trailers de uma vizinhança negra, ele conquistou o público jovem americano com suas letras sobre a violência das ruas - em uma clara reação à onda de "bubblegum pop" do mercado atual.Seu segundo álbum, The Marshal Mathers LP, ficou várias semanas no primeiro lugar da parada da Billboard, transformando o rapper em uma das maiores celebridades do pop do país. Paralelamente à fama vieram os problemas. De acordo com o livro Shady Bizzness, que chega ao mercado nas próximas semanas, foi o próprio artista o responsável por tantas confusões.Williams revela que Eminem gosta de todos os tipos de drogas, mas é fanático por ecstasy, chegando a tomar seis pílulas em um dia. "Às vezes ele fica um ou dois dias sem tomar, mas para shows e entrevistas já é uma obrigação", diz o guarda-costas, que acompanhou o rapper por quase um ano, em 1999 e foi demitido por problemas a respeito de pagamentos.Processo - Eminem também é acusado de levar suas amantes, de primeira classe, para diferentes cidades. Entre elas, ele cita uma "modelo" brasileira chamada Kessia. O envolvimento com as fãs - inclusive, de acordo com o livro, algumas menores de idade - era motivo de intermináveis brigas com a mulher dele, Kim, que tentou suicídio em julho, depois que o rapper ameaçou um "amigo" dela com uma arma, episódio que está rendendo um processo. Depois de receber o pedido de divórcio, ela resolveu entrar com um outro processo, de US$ 10 milhões, por "difamação", por conta de duas músicas que falam como Eminem gostaria de assassinar a esposa e se livrar do corpo. Ele também tem usado uma boneca inflável em seus shows para simular cenas de violência contra Kim. "Aqueles dois viviam em uma constante luta livre", garante Williams.O lançamento do livro deve ajudar a reforçar a imagem de bad boy do rapper, que vai ter de enfrentar uma série de compromissos legais nos próximos meses e foi proibido de sair do país. Williams diz que o rapper ofereceu US$ 25 mil para que ele não publicasse o livro, o que disse ser uma oferta "ofensiva".De acordo com o empresário de Eminem, Williams é um "aproveitador" que sempre quis tirar dinheiro do artista, tento chegado a pedir US$ 1 milhão para ficar de boca fechada. "Eminem já admitiu que faz uso recreativo de drogas, mas nunca fez sexo com garotas menores de idade", defendeu o empresário Paul Rosemberg no jornal New York Post esta semana. Se o livro pode piorar as coisas nos tribunais, uma dose extra de escândalo com certeza deve ajudar a aumentar ainda mais as vendas de The Marshal Mathers LP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.