Liverpool lembra 25 anos da morte de Lennon

Liverpool, a cidade natal de John Lennon, concentra hoje as atividades pelo 25.° aniversário do assassinato do ex-membro dos Beatles, e já chegaram à região fã do mundo todo para recordá-lo. Ao meio-dia, o céu da cidade que assistiu aos primeiros passos dos Beatles se encheu de balões brancos, cada um deles com uma mensagem dirigida ao cantor e compositor, morto em 8 de dezembro de 1980 após ser baleado em frente ao edifício onde vivia em Manhattan. As mensagens, mais de mil, foram escritas por pessoas, algumas procedentes de outros países, que quiseram prestar assim sua homenagem a Lennon. James Andrews, um menino de 9 anos de Bournemouth, era um dos fãs dos Beatles mais jovens que participaram do ato. Após contar a meios de comunicação locais que seus pais tinham permitido que ele faltasse na aula, explicou que em sua mensagem "apenas tinha desejado a Lennon Feliz Natal". Outra mensagem, de Jim Cushman, dos Estados Unidos, dizia que, "com tudo o que está ocorrendo no mundo, hoje precisamos da voz de Lennon mais do que nunca". Também Louise, de Liverpool, pedia que "a mensagem de paz" do músico "fosse mais escutada no mundo atual". Os fãs de Lennon assistiram depois a uma oferenda floral feita na estátua do músico, situada junto ao The Cavern, o mítico clube onde os Beatles começaram sua carreira. Os atos de memória continuarão pela tarde, com uma cerimônia religiosa na qual serão interpretadas versões em coro de algumas das canções compostas por ele, como All you Need is Love e In My Life. Ao anoitecer, a imagem de Lennon será projetada sobre os diques de Liverpool. O prefeito da cidade, Alan Dean, disse que a influência do músico sobre sua geração e as seguintes foi "imensa". Segundo ele, os Beatles não só "mudaram a imagem que se tinha de Liverpool no mundo", mas "demonstraram aos jovens de classe operária que, se você tiver capacidade, pode chegar a qualquer lugar". Os atos pelo aniversário da morte do músico também serão realizados em outros pontos do Reino Unido. Um show em sua homenagem reunirá músicos como Paul Weller e Jamie Cullum nos famosos estúdios fonográficos de Abbey Road de Londres, onde os Beatles gravaram alguns de seus melhores discos. Também o cantor britânico Badly Drawn Boy, Sugababes e a cantora de jazz Katie Melua participarão da homenagem, na qual os artistas interpretarão versões de canções compostas por Lennon. O show será transmitido de forma simultânea no Reino Unido e nos Estados Unidos. A data não foi poupada de controvérsias. A emissão esta noite pelo Canal 4 da televisão britânica do documentário Eu Matei John Lennon, sobre o assassino do músico, Mark Chapman, irritou a família do músico. De acordo com Stanley Parkes, primo de Lennon, o documentário, no qual Chapman explica as razões que o levaram a cometer o crime, "é uma glorificação do assassino".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.