Live 8 de Londres entra para a história com Pink Floyd

Dez horas de música ao vivo dos melhores artistas dos últimos 30 anos marcaram o evento no Hyde Park de Londres neste sábado, em um show contra a pobreza que vai entrar na história.O principal dos dez shows do Live 8 reuniu 250 mil pessoas que mal conseguiam se mexer durante o longo desfile de estrelas, nem quando o autor da iniciativa, o irlandês Bob Geldof, disse que o metrô fecharia em breve.Os londrinos ficaram até no final e presenciaram o encontro após 20 anos do Pink Floyd, a atuação de Robbie Williams, a voz doce de Mariah Carey, o magnetismo de Bono do U2 e a timidez do jogador David Beckham, muito aplaudido mas que disse apenas algumas palavras.Londres foi a única cidade das dez onde aconteceu o Live 8 onde não fez sol, mas a ameaça de chuva não desanimou o público, bastante heterogêneo, que cantava tanto sucessos da atualidade, como Somewhere only we know, de Keane, quanto um clássico, como The Bitch is Back, de Elton John."Estas sim são as Nações Unidas", disse o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, diante das bandeiras de diversos países e em breve presença, mas que evidenciou o fato de que música e política podem se misturar. Essa idéia foi mostrada por todos os que subiram ao palco, defensores de criar pontes com os líderes do Grupo dos Oito (G8) - os sete países mais ricos e a Rússia -, que vão se reunir a partir da próxima quarta-feira na Escócia."Oito homens em uma sala" podem mudar o mundo e acabar com a extrema pobreza na África, dizia constantemente um letreiro eletrônico sobre o cenário.Em Hyde Park, ninguém quis falar de caridade, mas de justiça social; não se pediu dinheiro, mas "nomes", para pressionar os líderes do G8 a aumentar sua ajuda à África, cancelar toda a dívida externa e promover o comércio justo.No final do show, o contador nos grandes telões mostrava o número de quase 30 milhões de nomes que através do celular ou da internet aderiram à campanha.Sting deixou clara a vontade de influenciar os governantes ao cantar o clássico Every breath you take, com a imagem de líderes como George W. Bush, Tony Blair e Jacques Chirac na tela: We´ll be watching you" (Estaremos vigiando vocês).Se Coldplay, Dido, REM, Annie Lennox e Travis, entre os 26 artistas que tocaram em Hyde Park, não fossem suficientes para o público, o Live 8 permitiu conexão com outras cidades e, das telas gigantes, foi possível acompanhar Bryan Adams, em Ontário, Bon Jovi, na Filadélfia, e Pet Shop Boys, em Moscou.Depois do encerramento, com Paul McCartney e o Hey Jude dos Beatles, um britânico disse exausto: "Contaremos isto a nossos netos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.