REUTERS/Danny Moloshok
REUTERS/Danny Moloshok

Lionel Richie e John Legend soltam a voz em festival de jazz

Curaçao North Sea Jazz reúne grandes nomes em sua sexta edição

Adriana Del Ré , CURAÇAO

04 de setembro de 2015 | 03h00

O clima é de expectativa. A Ilha de Curaçao, no Caribe, já está com sua rede de hotéis praticamente lotada. Os visitantes vêm de várias partes do mundo. O motivo não são apenas as belezas naturais do país – o que já seria para o turista, por si só, razão suficiente –, mas, sim, um festival de música que já é tradicional na Holanda e, desde 2010, ganhou um braço em Curaçao, ex-colônia holandesa.

Este ano, o Curaçao North Sea Jazz Festival vai para sua 6.ª edição, a ser realizada nesta sexta-feira (4) e sábado (5), na área do World Trade Center, com ingressos vendidos a US$ 195 e uma programação de peso para um evento que poderia ser considerado pequeno diante de grandes festivais como, por exemplo, os realizados no Brasil. A título de comparação, para o North Sea Jazz Festival, são esperadas cerca de 12 mil pessoas por dia enquanto o Rock in Rio receberá 85 mil pessoas por dia.

Pelos três palcos, batizados de Sam Cooke, Celia e Sir Duke, durante os dois dias de evento, vão passar nomes como Cassandra Wilson, Enrique Iglesias, Emeli Sandé, Bettye Lavette, Stanley Clarke Band, John Legend, entre outros. Lionel Richie é a principal atração desta sexta e Usher, de sábado. E, para o público, pode ser uma chance de ouro assistir às apresentações de The Isley Brothers e The Pointer Sisters, longevos grupos de R&B que ganharam novas formações ao longo dos anos. 

Em seu DNA, o festival traz como proposta contemplar a música latina, a africana, o jazz, blues, soul, funk, R&B, entre outros ritmos. Nesta edição, uma pitada de pop entra nesse balaio com os shows de Enrique Iglesias, ícone latino, e Lionel Richie, com suas raízes no R&B. Os dois acumulam números portentosos. O filho de Julio Iglesias atingiu a marca de 1 bilhão de visualizações, na internet, com o clipe Bailando, no mês passado. Lionel, ex-integrante do grupo The Commodores, já vendeu 100 milhões de discos em todo o mundo. Enrique Iglesias se apresentará nesta sexta, no Palco Sam Cooke, com o novo disco Sex and Love na bagagem. Lionel Richie chegará na sequência, no mesmo palco, para fechar a noite. Seu mais recente disco foi Tuskegge, de 2012, mas é certo que ele sacará sua coleção de hits, como All Night Long, Say You Say Me e Hello, como se viu no show que ele fez no Brasil, no Ginásio do Ibirapuera, em 2010. 

Rock in Rio. Outra atração é o cantor e compositor John Legend. Ganhador do Oscar de melhor canção neste ano por Glory, feita em parceria com o rapper Common, para o filme Selma, ele faz show no sábado, no mesmo Palco Sam Cooke. Seu single All Of Me, do seu quarto álbum de estúdio Love In Future (2013), tornou-se um grande hit, a ponto de ficar no topo da Billboard Hot 100, desbancando o megassucesso Happy, de Pharrell Williams, que permaneceu durante semanas como o número 1. Considerado um artista completo, Legend também está no line up deste ano do Rock in Rio Brasil. 

Usher é também aguardada estrela da música americana no festival. Ele destacou-se com o segundo disco, My Way, de 1997, de onde saíram hits como Nice & Slow e You Make Me Wanna. O álbum vendeu mais de 7 milhões de cópias pelo mundo. Já Charles Bradley e Stanley Clarke abrem o Palco Sir Duke, respectivamente, na sexta e no sábado. Dois estilos diferentes em cena: um dia, o homem do soul, cheio de energia, e no outro, o do jazz, a sofisticação em pessoa. Os dois já estiveram no Brasil, sendo que Clarke é habitué no País – ele se apresentou na quinta, dia 3, em São Paulo, no Bourbon Street, com o disco novo, UP, antes de embarcar para Curaçao. 

O pequeno time feminino é formado por Bettye Lavette, cantora de soul que fez sua primeira gravação aos 16 anos, e Cassandra Wilson, bela voz a serviço do jazz e outros estilos, ambas no Palco Celia, além da cantora e compositora de R&B e soul Emeli Sandé, de 28 anos, que fez sucesso com músicas como Next To Me, no Palco Sir Duke. 

Na última quinta-feira, 3, as apresentações gratuitas dos cantores Juanes e Oscar D’ León funcionaram como uma espécie de preview do festival. Nos anos anteriores, nomes como Bruno Mars, Rod Stewart, George Benson, Stevie Wonder, Diana Ross e Prince já haviam passado pelos palcos do North Sea Jazz Festival. Neste ano, a programação também promete. 


Tudo o que sabemos sobre:
Músicajazz,Caribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.