Maria Tuca Fanchin / Camila Picolo
Maria Tuca Fanchin / Camila Picolo

Lily Allen mistura doçura e deboche em bom show em São Paulo

Cantora inglesa subiu ao palco do Cultura Inglesa Festival, neste domingo, 9, misturando hits com canções mais recentes; apresentação ganhou tom político em alguns momentos

Adriana Del Ré, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2019 | 01h42

Havia uma euforia sincera entre os fãs de Lily Allen na plateia do Memorial da América Latina. Afinal, faz dez anos que a cantora inglesa, hoje com 34 anos, não se apresenta no Brasil. E de lá para cá, muita coisa aconteceu na sua vida e carreira. “Eu te amo!”, Lily ouviu o coro vindo do público, assim mesmo, em português, logo no início de seu show que fez parte da programação do 23º Cultura Inglesa Festival, na noite deste domingo, 9. “Faz dez anos, é realmente incrível”, devolveu, em inglês, a cantora.

Usando um vestido largo, comprido e brilhante, Lily parecia uma boneca, com uma doçura na voz em contraste ao seu jeito meio moleque, meio debochado. Mesclou hits, como o esperado Smile, que projetou sua carreira lá nos idos 2006, e Not Fair, e canções do mais recente disco, No Shame, de 2018, como What You Waiting For? e Come on Then.

Revisitou outras canções de seu disco de estreia, Alright, Still, que é aberto por Smile, como Knock 'Em Out e LDN. E, como numa palheta de cores, mostrou suas múltiplas incursões rítmicas, do reggae ao country - mesmo que a base de sua música seja o pop. Ainda no setlist, ela flutuou das baladas às músicas mais alegres, passando ainda pelas mais melancólicas, como Higher, que fala sobre o fim de seu casamento.

Lily incluiu ainda dois covers, que fazem parte de seu repertório: Deep End, de Lykke Li, e 5 O'Clock, de T-Pain.

O show também ganhou tom político em alguns momentos. Antes de cantar The Fear, outro de seus sucessos, Lily fez uma breve introdução dizendo que a música foi “escrita antes das Kardashians, antes de Trump e antes de Bolsonaro”. Ao final, Lily falou sobre a última música do bis, Fuck You, uma canção de protesto que, ela lembrou, havia composto há anos para George W. Bush, “quando ele era o presidente dos EUA". "Dedico ao presidente de vocês”, gritou, referindo-se novamente a Bolsonaro.

Antes de Lily subir ao palco, a pernambucana Duda Beat fez um show saboroso, mesclando sofrência e covers, como Say You´ll Be There, das Spice Girls, em ritmo de forró. A cantora é o nome em ascensão da música independente.

Mais cedo, teve apresentação da banda Mad Mother´s, formada por alunos e vencedora do Cultura Inglesa Rock Festival.

Tudo o que sabemos sobre:
Lily Allenmúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.