"Let it Be" volta do jeito que McCartney sonhou

Agora vai. Após anos de especulações e alguns adiamentos, a gravadora dos Beatles anunciou que vai lançar em novembro a versão mais rock´n´roll de Let It Be. Let It Be... Naked sai no dia 17, segundo comunicado da Apple.O disco foi gravado em 1969. A idéia original era batizá-lo Get Back, marcando um retorno à sonoridade da banda em início de carreira, sem efeitos ou orquestras, calcada na formação baixo-guitarra-bateria. Mas os desentendimentos entre os membros levou o disco à gaveta.Tempos depois, o produtor Phil Spector foi convocado para rearranjar centenas de horas de gravação. A sonoridade mais crua ganhou então uma nova produção, com mais efeitos. Paul McCartney, em vão, tentou se opor às mixagens de Spector. "Paul sempre se opôs a Phil. Eu falei com ele pelo telefone (recentemente), ´Você estava certo. Soa ótimo sem o Phil´ E soa mesmo", disse Ringo Starr à Rolling Stone.Let it Be foi gravado antes de Abbey Road, mas acabou sendo lançado depois, em 1970, como o derradeiro disco do grupo. A nova versão mantém basicamente o repertório do original, com Let it Be, The Long and Winding Road, Get Back e Across the Universe à frente. Dig It, Maggie Mae e os diálogos de fundo serão cortados. Don´t Let Me Down será acrescentada. O álbum sai pela EMI.Para os fãs de carteirinha, porém, o disco talvez não traga tanta novidade. Versões mais cruas de Let it Be circulam há muito tempo em fã-clubes e no mercado de discos piratas. No início do ano, a polícia apreendeu cerca de 500 fitas roubadas das gravações, a maior parte na Holanda, com prisões realizadas também na Inglaterra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.