Leno encontra forma divertida para falar de Jackson

O apresentador do talk show Tonight Show Jay Leno encontrou uma maneira divertida de protestar e lidar com a ordem de silêncio que o proíbe de fazer comentários sobre o julgamento de Michael Jackson em seu programa. Leno, que foi listado como possível testemunha da defesa do astro, contou com a presença de comediantes como Brad Garrett, Dennis Miller e Roseanne Barr para fazer as piadas sobre o caso em seu lugar. Na semana passada, os advogados de Leno entraram com um pedido para que o apresentador fosse liberado da ordem, pois é uma celebridade que aborda em seu programa assuntos atuais e variados. O juiz do caso, Rodney Melville decidiria sobre o assunto hoje. Ontem, a comediante Roseanne Barr fez piadas sobre o astro pop, enquanto Leno ficou parado ao seu lado. Na segunda-feira, Leno havia começado a contar uma piada que retrata uma conversa entre Michael Jackson e Martha Stewart. Depois de dizer que "ele queria saber como é ser uma mulher branca na prisão", Leno levou as mãos à boca e parou o monólogo. Ele informou ao público que, como todas as outras testemunhas do caso Jackson, ele não podia falar sobre o assunto. Então, o comediante Dennis Miller continuou a contar piadas sobre Jackson. Na sexta-feira, Leno fez algo semelhante com Brad Garrett, do seriado Everybody Loves Raymond.Leno foi listado com testemunha de defesa de Jackson porque os advogados do cantor dissera que a mãe do menino acusador procurou diversas celebridades, entre ela Leno, pedindo dinheiro para o tratamento de seu filho, que sofria de câncer. "Acreditamos que o juiz Melville não queria que sua ordem impedisse Leno de fazer o que ele sempre fez, que é divertir o país todas as noites com piadas e comentários sobre fatos atuais e outras notícias", disse a NBC, emissora de Leno, em uma declaração. Em resposta, os advogados de Jackson pediram que o juiz confirme que Leno deve respeitar a ordem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.