Valerie Macon / AFP
Valerie Macon / AFP

Lendas da música prestam tributo a Joni Mitchell antes do Grammy

Maior cerimônia de premiação da música acontece neste domingo, 3

Maggy Donaldson, AFP

02 de abril de 2022 | 18h46

Lendas da música homenagearam na sexta-feira, 1, a canadense Joni Mitchell, ícone do folk por trás de clássicos como A Case Of You, em uma festa beneficente pré-Grammy. Artistas como Herbie Hancock, Cyndi Lauper, Angelique Kidjo e Stephen Stills, juntamente com o principal indicado ao Grammy deste ano, Jon Batiste, prestaram homenagem à vasta obra de Mitchell, de 78 anos, na gala MusiCares.

"Tem sido um bom ano", disse no tapete vermelho a artista vestindo um quimono de lantejoulas e boina preta. A noite marcou uma rara aparição pública para Mitchell, que em 2015 sofreu um aneurisma cerebral que a deixou temporariamente incapaz de falar e cujas consequências exigiram fisioterapia extensa. Mas na sexta-feira estava radiante, dizendo aos repórteres que tinha "ideias" artísticas, embora continue focada em melhorar sua saúde. Quando questionada por jornalistas sobre sua saúde, ela respondeu que "muito bem" e que havia "melhorado".

A influente artista que inspirou tantos, de Neil Diamond a Prince, talvez seja mais conhecida por seu álbum de 1971, Blue, um mergulho profundo no desgosto. No verão passado, Blue alcançou o primeiro lugar no iTunes em seu 50º aniversário, superando até mesmo a sensação pop Olivia Rodrigo. Expressando seu próprio espanto, Mitchell explicou a popularidade duradoura de seu álbum e seu recente ressurgimento: "Talvez as pessoas queiram cavar um pouco mais fundo".

'Ninguém escreve letras como Joni'

O grande jazzman Hancock, que em 2007 lançou um álbum tributo a Mitchell intitulado River: The Joni Letters, elogiou a "coragem" artística de sua velha amiga. "Ela desnuda sua alma, mas de uma maneira muito poética", disse Hancock à AFP no tapete vermelho, horas antes de apresentar a música Hejira de Mitchell no palco. Ele acrescentou que Mitchell, que é considerada por muitos como uma das grandes compositoras do século XX, o ensinou "a ouvir as letras". "Algumas pessoas, e eu sou uma delas, quando ouvimos música, ouvimos as harmonias e as texturas musicais, e as letras parecem sem sentido", continuou.

Ainda assim, a "poesia" de Mitchell o impressiona, disse Hancock: "Ninguém escreve letras como Joni". "Ela nos deu a coragem de dizer a verdade", comentou, por sua vez, Billy Porter, que prestou homenagem a Mitchell cantando sua amada Both Sides Now. "Usar nossa arte para crescer; usar nossa arte para curar", ressaltou. "Para libertar outras pessoas, ela é poderosa dessa maneira." 

A gala MusiCares, repleta de estrelas, é uma tradição anual da ala de caridade da Academia de Gravação que arrecada dinheiro para ajudar músicos necessitados antes do Grammy Awards. A celebração deste ano também contou com uma emocionante performance remota de A Case Of You de Graham Nash, do grupo folk Crosby, Stills, Nash & Young, banda à qual Mitchell influenciou profundamente e com quem compartilhou uma rica relação de trabalho.

Ela esteve em um relacionamento com David Crosby, assim como com Nash, o último rompimento serviu de inspiração para várias das músicas de Blue, incluindo a pungente A Case of You. Em uma mensagem gravada, Neil Young enviou "muito amor" a Mitchell, enquanto Stephen Stills compareceu à cerimônia em Las Vegas e elogiou Mitchell como "uma das grandes artistas deste mundo".

Stills tocou guitarra enquanto Brandi Carlile cantou uma versão animada de "Woodstock" em uma noite lotada de apresentações que emocionaram muitos, especialmente Mitchell. "Eu poderia me aposentar agora e deixar outras pessoas fazerem isso", brincou ao receber o prêmio. "Todo mundo foi esplêndido."            

Tudo o que sabemos sobre:
Joni MitchellJon BatisteGrammymúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.