Valerie Macon/AFP
Valerie Macon/AFP

Leilão de memorabilia dos Beatles em formato NFT arrecada US$ 158 mil

Uma animação feita a partir dos manuscritos de 'Hey Jude' superou as expectativas e foi vendida por mais de US$ 76 mil

Redação, AFP

08 de fevereiro de 2022 | 08h10

Mais de US$ 158 mil foram arrecadados no leilão de memorabilia dos Beatles em formato NFT, peças digitais certificadas que estão revolucionando o mercado das artes, anunciou nesta segunda-feira, 7, a casa de leilões Julien's Auctions.

A peça central do leilão, a versão NFT das notas manuscritas do clássico Hey Jude, concedida pelo filho do músico falecido John Lennon, Julian, superou as expectativas e foi vendida por US$ 76.800, detalhou a casa californiana, especializada nesse tipo de oferta.

A peça digital NFT é uma animação em que as estrofes da música são escritas progressivamente em uma folha e, em off, ouve-se um comentário de Julian Lennon explicando o contexto histórico e sentimental da peça.

"Para mim, apenas olhar para uma foto não seria suficiente se eu fosse um comprador. Quis, então, adicionar algo mais pessoal. Para mim, isso seria escrever e narrar um pouco da história que estaria por trás das imagens", explicou Julian à AFP.

O músico e fotógrafo também leiloou uma versão NFT do casaco afegão que seu pai usou na turnê Magical Mystery Tour, vendida por US$ 22.400. A versão digital de uma guitarra que ele ganhou de Natal de seu pai foi vendida pelo mesmo preço.

Parte do dinheiro arrecadado no leilão será destinada à fundação beneficente criada por Julian Lennon e usada em projetos para capturar CO2 da atmosfera a fim de conter o aquecimento global.

Julian Lennon planeja vender outras peças NFT de sua coleção na Julien's Auctions, mas não pretende se desfazer dos objetos materiais. "Sem chance! São 30 anos colecionando coisas muito, muito pessoais. E você sabe, eu não tenho muitas coisas do meu pai, então eu as valorizo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.