Leia trecho de 'The Beatles - A Biografia'

Não demorou muito, no entanto, para que John tivesse outro ataque de descontrole alcoólico. Ante o olhar horrorizado de Cynthia, ele agarrou uma garota, segurou-a pelos seios e não queria mais largá-la. Mais uma vez. Billy J. Interferiu, afastando John da moça. Segundo ele, "John estava agitando os braços e gritando: 'você não é nada, Kramer - você é um bostinha! Nós somos o melhor grupo de todos'. Ele estava ficando agressivo. Então eu lhe mostrei o punho e disse: 'Vou quebrar a sua cara se você não calar a boca'".Kramer, que era muito maior do que John, arrastou-o até a calçada, onde tentou dominá-lo e acalmar Cynthia, que estava "surtando", até que um táxi aparecesse e levasse ambos para casa.Antes que a poeira baixasse Bob Wooler dirigiu-se tropegamente até o escritório de Rex Makin. "Ele chegou com um olho roxo e o nariz inchado", lembra Makin, "e me deu instruções par processar Lennon". Uma situação como essa, normalmente, coloca um advogado em posição difícil. Como advogado de Brian, e portanto de John, havia um claro conflito de interesses. Mas o sempre desembaraçado Makin não se perturbava com problemas desse tipo. "Apenas liguei para Brian e agi no interesse de todos", diz ele com satisfação. "Em virtude do inconveniente", conta Wooler, "eu recebi 200 liras e um pedido de desculpas, bem pouco convincente, de John".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.