Layo & Bushwacka misturam jazz, ópera e batucadas em CD

O terceiro álbum dos ingleses Layo & Bushwacka traz muitas novidades nas batidas eletrônicas. Elementos do jazz, ópera e até batucadas brasileiras marcam forte presença em Feels Closer, já à venda nas lojas (em média, R$ 25). A surpresa é a participação de Rogério Flausino, vocalista da banda pop Jota Quest, no CD da dupla. "Eu o conheci no Winter Music Conference, que ocorreu no ano passado em Miami", conta Layo Paskin. "Gostei muito dele e, quando o escutei cantando, tive a certeza de que ele seria a melhor escolha para a faixa Sunshine in Ipanema."Além de Flausino, muitas outras participações especiais dão o ar de sua graça no novo álbum, entre eles, os norte-americanos Cajmere, mais conhecido como Green Velvet, que faz o vocal da faixa de electro-tecno Life2Live, e Tim Hutton, que já se apresentou diversas vezes com os ingleses do Groove Armada. O francês Minu Cinelu e um remix da diva Ella Fitzgerald com o mestre Louis Armstrong na faixa Isn´t a Lovely Day são outros dois destaques muito bem elaborados na compilação. A meio brasileira, meio inglesa Jessy Molnar apresenta a sua bela voz na faixa Saudade (Longing). "A Jessy não é famosa ainda, tem apenas 20 anos e mora metade do ano em Londres e outra metade em Itacaré, na Bahia", detalha Layo, sobre a sua amiga.Feels Closer vai agradar não só aos amantes da boa música eletrônica, mas também aqueles ligados em MPB, rock e jazz de qualidade. A seleção foi muito bem explorada em todos os estilos. "Nós somos muito influenciados por todo tipo de música, da clássica às trilhas sonoras de filmes, do blues e jazz ao rock e naturalmente por todo tipo de música eletrônica", conta o inglês que já participou de diversas edições do maior festival de bate-estaca do Brasil, o Skol Beats.Layo não tem apenas um DJ favorito, mas vários - de Marky e Laurent Garnier a Mr. C e Kruder & Dorfmeister, passando por Richie Hawtin e Derrick Carter. "Eu gosto daqueles com ótimos estilos e principalmente boas interpretações para tais. Gosto de pessoas reais, que conseguem sentir a música."A dupla ainda planeja produzir um disco apenas com remixes de músicas brasileiras. "Eu conheço um pouco do samba, da bossa nova, do jazz brasileiro, mas ainda sou amador. Definitivamente quero produzir mais coisas com pessoas daqui, porque é sempre um prazer", diz Layo, que há um mês estava descansando na praia de Itacaré, na Bahia. "Já estive umas 20 vezes no Brasil e não me canso de voltar. Eu estou aprendendo português e é certo que comprarei uma casa e morarei aqui um dia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.