Laura Pausini vem ao Brasil mostrar novo CD

Diva da canção romântica italiana, a cantora Laura Pausini tem bons motivos para incluir sempre a América Latina em suas turnês de divulgação de discos novos. Aqui ela tem um público excepcional, que já comprou 80 mil cópias de seu disco novo, Tra Te e Il Mare (Entre Você e o Mar, Warner Music) em apenas seis semanas do seu lançamento.É por isso que ela desembarca aqui de novo, para promover seu recente trabalho. Em pouco mais de seis anos de carreira, Laura Pausini vendeu 14 milhões de discos no mundo (1 milhão só no Brasil). Passou a ser conhecida aqui no País quando o cantor Renato Russo gravou canções suas, como La Solitudine e Strani Amori."Comecei com 18 anos, de forma um pouco parecida com Britney Spears, cantando canções muito adolescentes, como La Solitudine", disse Laura Pausini, em entrevista por telefone, de Milão. "Por conta disso, os críticos foram implacáveis comigo, como agora fazem com Britney, Cristina Aguilera e os Backstreet Boys", queixa-se."Creio que a crítica não é justa com os ídolos adolescentes, que deveria ser mais respeitosa, porque eles são adolescentes e cantam o que é a sua vida - seriam menos verdadeiros se não o fizessem", ela continua. "Quando uma pessoa é muito jovem, a crítica é sempre muito má, e não é justo matá-los enquanto não experimentam um crescimento pessoal e musical."De qualquer modo, a bela italianinha Laura não se considera mais uma adolescente, aos 25 anos. Aos 18, ela ganhou um Festival de San Remo e saiu de Ravena, Itália, para conquistar o mundo. "Mas passaram-se sete anos e eu mudei, e penso que hoje a crítica me ama", exagera La Pausini.Torcedora do Milan, mas amiga também de Ronaldinho e Zamorano (da Inter de Milão, o rival do Milan), ela diz que - embora utilizando alguns recursos eletrônicos no novo disco - procurou obter um som mais "clássico" no trabalho atual. "Eu necessitava de um som mais acústico, por isso chamei uma orquestra de Londres e inseri muito violão e piano nas músicas", explicou.Laura anunciou uma turnê mundial entre março e abril do ano que vem, com o Brasil no roteiro. Entre esta quarta-feira e o dia 9, ela estará no País divulgando seu disco em programas de TV e rádio. Morena do signo de Touro, ela e outros artistas populares da Bota - como Eros Ramazzotti, Andrea Bocelli e Zucchero - são responsáveis por uma reaproximação da música italiana com o Brasil, rompendo um distanciamento que vinha desde os anos 70.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2000 | 23h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.