Luke MacGregor/ Reuters
Luke MacGregor/ Reuters

Laudo que revelou causa da morte Amy Winehouse pode ser invalidado

Assistente do médico legista responsável não tinha qualificação profissional para o cargo

estadão.com.br,

01 de fevereiro de 2012 | 13h17

SÃO PAULO - Meses depois de ser divulgado, o laudo que indicou que Amy Winehouse morreu por intoxicação alcoólica pode ser anulado, divulgou nesta quarta-feira, 1, o tabloide britânico The Sun. De acordo com a publicação, os exames teriam sido realizados de forma ilegal, pois a assistente do legista responsável não tinha qualificação para a função.

 

De acordo com a publicação, Suzanne Greenway foi indicada por seu marido e não estava apta para realizar os exames que indicaram a causa do falecimento de Amy Winehouse.

 

Oficiais informaram que Greenway foi afastada em novembro, já que sua habilitação era de enfermeira, adquirida na Austrália, seu país natal, e seus cursos para atuar como médica legista estavam incompletos. Suzanne Greenway trabalhava como advogada antes de se mudar para os Estados Unidos.

 

Além do inquérito de Amy Winehouse, cerca de 30 outros podem ser considerados ilegais caso haja requisição por parte da justiça. O marido de Greenway também será investigado. À imprensa britânica, ele revelou que errou ao nomear a esposa, mas que tem certeza que todos os laudos foram feitos corretamente.

 

Amy Winehouse foi encontrada morta em sua casa em julho de 2011, aos 27 anos. Exames toxicológicos indicaram que a cantora ingeriu álcool.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Amy Winehouse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.