Reprodução
Reprodução

Lady Gaga faz teste de lúpus e resultado dá positivo, diz site da People

Cantora pop americana confessou ter a doença no programa 'Larry King Live', da CNN

estadão.com.br

01 de junho de 2010 | 21h43

SÃO PAULO - A cantora pop americana Lady Gaga, de 24 anos, disse em entrevista ao programa de TV Larry King Live, que vai ao ar pela CNN na noite desta terça-feira, 1º, que seu teste de lúpus deu positivo. A informação é do site da revista People, que cobre celebridades e cultura popular.

 

Para acalmar os fãs, a cantora disse que ainda não apresenta nenhum sintoma, mas que deve cuidar da saúde. Gaga tem histórico familiar da doença, que ataca o sistema imunológico. Sua tia Joanne morreu aos 19 anos em decorrência de lúpus.

 

O estado físico de Lady Gaga começou a atrair atenção depois de ela ter desmaiado antes de subir ao palco em Indiana, em janeiro, e de ter passado mal durante um show na Nova Zelândia, em março. A assessoria da popstar disse, em nota, que o desmaio nos EUA foi em decorrência de exaustão e desidratação.

 

Recentemente, a cantora disse que vinha sentindo palpitações, mas que era apenas consequência de fadiga pelo excesso de trabalho. A última vez em que ela passou mal foi por um problema respiratório em Tóquio, mas, depois de receber um pouco de oxigênio, voltou ao palco.

 

Gaga, que se recusa a sair de férias, também afirmou que não usa mais cocaína nem fuma.

 

A doença

 

O lúpus é uma doença inflamatória autoimune (ataca as próprias células e tecidos do corpo) que não tem causa conhecida e atinge principalmente mulheres entre 15 e 35 anos.

Os sintomas variam de pessoa para pessoa, mas em geral incluem anemia, doença renal, dores nas articulações, problemas de pele e de fígado, inflamação na pleura (membrana que reveste os pulmões) e no pericárdio (bolsa que envolve o coração), e alterações nos glóbulos brancos e nas plaquetas. A doença também pode afetar o sistema nervoso.

O diagnóstico é feito por meio de exames laboratoriais pedidos por um reumatologista. O lúpus não é contagioso e ainda não se sabe como preveni-lo nem curá-lo. O que é possível evitar são consequências mais graves; por isso é recomendável evitar a luz solar e cuidar da saúde para não desenvolver cardiopatias, diabetes ou hipertensão arterial.

O tratamento em geral inclui o uso de corticoides e imunossupressores, em caso de manifestações nos órgãos, e de cloroquina, em caso de problemas de pele.

O lúpus pode ser fatal, mas a taxa de sobrevivência é cada vez maior. Nos EUA, Canadá e Europa, chega a 95% nos cinco primeiros anos; 90% em dez anos e 78% em 20 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.