Lacerda foi aluno de Camargo Guarnieri

Nascido na capital paulista no anode 1927, Osvaldo Lacerda começou a estudar piano aos 5 anos. Otempo passou e com ele só aumentou a vontade de compor. Em 1952,começou a estudar composição com Camargo Guarnieri, celebradonão apenas como um dos principais professores do Brasil, mastambém como um dos defensores do que o escritor Mário de Andradechamava de "música de caráter essencialmente nacional".Antes disso, em 1949, Lacerda já havia fundado aSociedade Paulista de Arte que, até 1955, apresentou novos nomesà cena musical paulistana. Tendo herdado do mestre a preocupaçãocom a produção nacional, Lacerda fundou em 1961, com outrosmúsicos, a Sociedade Pró-Música Brasileira. Em 1962, tornava-seo primeiro brasileiro a usufruir a bolsa da Fundação Guggenheim,indo estudar nos Estados Unidos com nomes como Aaron Copland.De volta ao Brasil, envolveu-se em um dos mais lendáriosdebates estéticos no que diz respeito à musica do País. Ao ladode Guarnieri, ele defendeu a idéia de uma produção musical quelevasse em consideração o espírito brasileiro em detrimento a"falsas teorias progressistas da música", associadas aoaustríaco Koellreutter. "Participei de debates, briguei,enquanto Guarnieri me dizia que o que eu deveria fazer era irpara casa compor. Foi o que fiz. Brigávamos, mas os dois ladosestavam na mesma situação, sem ver suas obras executadas",lembra.Lacerda sempre defendeu uma música que, não importa aroupagem estilística ou harmônica, possua característicaspróprias da música brasileira. "Não é verdade que a música sejauma linguagem universal. Na verdade, a linguagem é semprenacional, podendo ser compreendida universalmente."Conselhos aos jovens? "O compositor precisa serverdadeiro, não pode se agregar a nenhuma onda, que pode vir aser uma verdadeira canoa furada." Exemplos de canoas furadas?"Não vou dizer, prefiro não mexer em cumbucas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.