M Rossi/Divulgação
M Rossi/Divulgação

Kid Abelha anuncia fim da banda

Grupo publicou carta de despedida em rede social na noite desta sexta-feira, 22

Heverton Nascimento, O Estado S. Paulo

23 Abril 2016 | 11h28

O Kid Abelha anunciou nesta sexta-feira, 22, que o grupo encerra as atividades. A vocalista Paula Toller e o saxofonista George Israel têm trabalhado em suas respectivas carreiras solo há tempos e o fim da banda era esperado, mas o anúncio oficial ainda não havia sido feito. Também integra a banda o guitarrista Bruno Fortunato.

No perfil de Facebook do trio foi publicada uma mensagem de despedida, com o título de 'Nota de Agradecimento'. O texto fala dos trabalhos solo dos integrantes e faz referência a 'publicações equivocadas', que geraram a necessidade do 'esclarecimento' sobre o fim da banda que contabiliza 35 anos de carreira, já que foi formado em 1981.

Em 2012 o Kid Abelha excursionou comemorando os 30 anos de carreira e anunciou pausa em 2013.

Autores de sucessos como 'Pintura Íntima', 'Por que não Eu?', 'Fixação', 'Lágrimas de Chuva' e 'Nada por mim', o grupo, que inciou as atividades com o nome de Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens, marcou época e foi uma das bandas de maior sucesso nas rádios FM, da safra do chamado rock brasileiro, nascido na década de 1980. 

Leia a Nota de Agradecimento na íntegra:

"Querido fã:

Temos sido chamados para entrevistas sobre nossos projetos atuais, e claro, sempre há alguma pergunta sobre o Kid Abelha, nossa banda durante mais de 30 anos e que nos trouxe grandes alegrias na vida. Com gentileza, procuramos sempre contar a verdade, mas, surpreendidos por algumas publicações equivocadas, estamos fazendo este esclarecimento.

A vontade de experimentar outras formas de criar e o desgaste natural de tanto tempo juntos nos levaram a essa decisão. Optamos por um soft-ending, um final suave, evitando o sensacionalismo, com a convicção de que nossa trajetória vitoriosa sempre se deveu ao entusiasmo e dedicação sempre renovados a cada disco, cada turnê.

Foram três décadas de sucesso, aventuras, amizade, e também de momentos difíceis, altos e baixos dessa carreira desafiadora que escolhemos. Pela nossa filosofia e pelo amor à música, nunca tivemos o dinheiro como norte, e sim como conseqüência (ou não) de um trabalho original e bem realizado, que se tornou paradigma de pop-rock brasileiro.

Mas faltou o mais importante: Agradecer em negrito, com letras garrafais, a você!

Ao fã que nos acompanha há tanto tempo, viajando para nos assistir ao vivo, escrevendo cartas, mandando mensagens e comentando nas redes sociais, elogiando, criticando, se preocupando...a esse amigo, que convida seus amigos a nos ouvir, e cuja vida está marcada através das canções que nós fizemos, e cujo carinho e atenção também marcaram nossas vidas, MUITO OBRIGADO!

Saiba que, do fundo do coração, não nos esqueceremos nem dos aplausos, dos gritos e da voz em coro nos grandes eventos, nem de cada voz isolada num quarto, entoando uma melodia também criada num quarto, na solidão, na vontade de vencer o tédio e a tristeza através de uma canção bonita.

Com amor;

Paula, George e Bruno"

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.