Caio Galucci
Caio Galucci

Kiara Sasso celebra os 30 anos de carreira artística com o show 'Silhuetas'

Uma das principais atrizes do musical brasileiro, ela vai se reencontrar com nomes como Saulo Vasconcelos

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

04 Junho 2018 | 06h00

Uma das principais intérpretes do musical brasileiro, Kiara Sasso já mantém uma invejável coleção de personagens, a ponto de conseguir reuni-las e montar um show. Foi o que fez em Silhuetas, apresentado no ano passado e que ganha agora uma Edição Especial, marcada para 26 de junho, no Teatro Porto Seguro.

O projeto, idealizado pela O Alto Mar Produções, nasceu como uma comemoração dos seus 30 anos de trajetória artística nos palcos e também no cinema por meio da dublagem.

Se no primeiro show a ênfase foi nos personagens, agora Kiara destaca os parceiros com quem dividiu o palco, a começar por Saulo Vasconcelos, com quem vai relembrar as sete produções em que estiveram juntos. Muitas se tornaram icônicas como A Bela e a Fera e O Fantasma da Ópera. “Além do talento, espero sempre a generosidade do parceiro com quem divido a cena”, comenta Kiara. “Para que o jogo dramático aconteça, é importante contracenar com alguém que saiba te escutar.”

Além de Vasconcelos, outros desses “bons ouvintes” estarão na edição especial de Silhuetas, como Kacau Gomes e Li Martins., Ela vai se lembrar também de Mamma Mia!, musical no qual teve um de seus papéis mais difíceis. É que pela primeira vez Kiara interpretou uma personagem mais velha que ela.

“Percebi que o ponto principal estava em um detalhe da interpretação, no temperamento, no peso ou na leveza que você colocava no personagem”, observa. “Donna exigiu uma postura, uma forma de falar. Passei a ver a vida por meio de seus olhos. Na verdade, eu estava apavorada pois fazia uma personagem que não era a mocinha ingênua, fiquei com medo de não convencer.”

+++ TUDO SOBRE: Kiara Sasso

Retomar histórias como essa é o cerne de Silhuetas, espetáculo com o qual Kiara promove uma volta no tempo. “A emoção é diferente, pois estou falando da personagem, mas não estou mais vivendo sua história. Mas, como elas sempre estão comigo, auxiliam na interpretação do show.”

Além das mulheres que viveu no palco, Kiara vai se lembrar também daquelas a quem emprestou a voz, como na dublagem de Ariel, de A Pequena Sereia. “Não é muito diferente do que faço no teatro, mas vem com mais ênfase. O ator de musical conta história através de canção e, na dublagem, isso fica mais acentuado. Como as pessoas não estão me vendo, tenho de passar tudo pela voz.”

Mais conteúdo sobre:
Kiara Sasso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.