Kanye West
Kanye West

Kanye West é processado por roqueiro húngaro por suposto roubo de canção

Gabor Presser quer pelo menos US$ 2,5 milhões de indenização por violação de direitos autorais

Reuters

24 de maio de 2016 | 10h50

O astro de hip-hop norte-americano Kanye West está sendo processado por um proeminente cantor e compositor de rock húngaro, que o acusou de samplear uma de suas composições mais conhecidas sem permissão na canção New Slaves, de 2013.

Em uma queixa apresentada na sexta-feira passada em um tribunal de Manhattan, em Nova York, Gabor Presser alegou que um terço de New Slaves, do álbum Yeezus, que chegou ao topo das paradas, é uma cópia não autorizada de Gyongyhaju Lany, canção de 1969 que compôs quando estava na banda Omega.

Presser descreveu a composição, cuja tradução aproximada é "Pérolas no Cabelo Dela", como "uma das canções pop mais amadas de todos os tempos na Hungria e no leste da Europa". Ele quer pelo menos US$ 2,5 milhões de indenização por violação de direitos autorais.

Advogados de West e da co-réu Sony/ATV Music Publishing LLC, um empreendimento conjunto da Sony e do espólio do astro pop Michael Jackson, não responderam de imediato a um pedido de resposta nesta segunda-feira, 23.

Presser disse que não tinha ideia de que sua canção estava sendo usada até que um advogado de West lhe mandou um e-mail após o início do trabalho de divulgação, indicando que West "gostaria de fazer um acordo o mais rápido possível" e lhe dando 24 horas para responder.

Os representantes de West enviaram a Presser um cheque de US$ 10 mil e insistiram para que ele concedesse uma licença de uso, mas o artista húngaro jamais descontou o cheque, diz o processo.

"Kanye West fez uso impróprio da composição do demandante sabida e intencionalmente", afirma a ação. "Depois que seu roubo foi descoberto, os réus se recusaram a lidar de forma justa com o demandante".

Compare as duas canções:

Omega - Gyöngyhajú lány

Kanye West - New Slaves

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.