Justiça permite volta da Napster

Uma corte federal de apelações autorizou a Napster a retormar seu serviço de intercâmbio de canções via Internet, anulando uma ordem prévia de uma corte inferior, que havia exigido plenas garantias de proteção aos direitos do autor.A Corte de Apelações do 9.º Distrito de San Francisco disse ontem, que Napster suspendeu voluntariamente seu trabalho no começo do mês e pode retomar suas operações. A decisão dos três juízes da corte de apelações deixa sem efeito um pedido da juiza federal Marilyn Hall Patel, que havia instruído a Napster no dia 11, que ficasse fora da Internet até que pudesse garantir que seu sistema não fosse utilizado para intercâmbio de músicas protegidas pelos direitos do autor.Representantes da Napster disseram que estavam contentes com a decisão, mas não confirmaram a volta da companhia de imediato. "Estamos estudando as implicações da decisão", disse o assessor geral da Napster, Jonathan Schwartz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.