Julgamento de Michael Jackson tem dia decisivo

O juiz Rodney Melville, responsável pelo julgamento do cantor Michael Jackson, está reunido com os advogados de acusação para ouvir os argumentos de que acusações anteriores contra o cantor de abuso sexual de crianças devem ser introduzidas no atual julgamento. O juiz deu a entender que pretende tomar sua decisão sobre isso antes de retomar os depoimentos, marcados para a tarde de hoje. Se for em favor da acusação, as testemunhas de casos anteriores poderão ser ouvidas em breve.A acusação baseia seu caso na teoria de que Michael Jackson é um pedófilo em série. O procurador do distrito de Santa Barbara, Tom Sneddon, vai argumentar que o júri deve conhecer pelo menos dois outros casos nos anos 1990 em que o cantor foi acusado de molestar dois meninos. O caso mais conhecido envolve o adolescente Jordan Chandler, que disse ter sofrido abusos de Michael Jackson em 1993.Michael Jackson fez um acordo milionário para resolver o caso fora dos tribunais. Ele negou veementemente que qualquer impropriedade tenha acontecido e depois disse que tinha optado pagar ao menino "uma soma considerável de dinheiro" para evitar ser submetido ao "circo da mídia" em um julgamento. O acordo, que incluiu uma cláusula em que nenhuma das partes discutiria a questão em público, teria envolvido o pagamento de US$ 26 milhões (mais de R$ 72 milhões). Nenhuma acusação formal chegou a ser feita.Desde então, foram publicados na internet documentos que seriam o depoimento sob juramento de Chandler, com um relato detalhado de alegados encontros sexuais com Michael Jackson. A legislação na Califórnia permite a apresentação de evidências de casos anteriores em que houve acusações de abusos sexuais , mesmo que não tenha havido um processo.O fato de a suposta vítima ter feito um acordo de confidencialidade não a impede de depor em um novo processo criminal. "Se a acusação conseguir incluir (no caso atual) essas evidências, as chances de condenação de Michael Jackson aumentam de forma astronômica", disse Anne Bremmer, analista jurídica e ex-promotora. A promotoria quer que essas provas sejam admitidas para reforçar e dar credibilidade às alegações de Gavin Arviso de que ele sofreu abusos do cantor em 2003. Os promotores tentariam expor semelhanças entre a natureza das acusações atuais e das que foram feitas há uma década.A testemunha mais importante seria Jordan Chandler, que hoje tem mais de 20 anos. No entanto, não está claro se ele está preparado para aparecer no julgamento. "Eles não podem legalmente forçá-lo a testemunhar", disse Raymond Chandler, tio de Jordan. "Teria que ser voluntário da parte dele". "Injustiçado" Ontem, Jackson declarou ser inocente em entrevista ao reverendo Jesse Jackson e disse que se considera o mais recente negro acusado injustamente, citando como exemplos anteriores Nelson Mandela, Muhammad Ali e Jack Johnson.Na entrevista, transmitida por rádio e pela internet, Jackson também pediu a seus fãs que rezassem por ele, e que estava em seu "emocionalmente no ponto mais fraco" de sua vida, à beira da falência. Ele disse que continua com "grande dor" depois de cair em seu chuveiro no começo do mês, apesar de ter dito, em outro momento, que sua "saúde está perfeita".

Agencia Estado,

28 de março de 2005 | 15h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.