Juiz vota a favor dos ativistas no caso de Madonna

Um grupo de ativistas ajudará a decidir se Madonna está apta para adotar um menino nascido em Maláui, segundo determinou um juiz nesta quarta-feira. O juiz Andrew Nyirenda falou a favor de uma coligação de 67grupos defensores dos direitos humanos que querem participar na avaliação da cantora norte-americana de 48 anos como mãe adotiva.O veredicto, que deveria ter sido divulgado ontem, na capital administrativa de Maláui, Lilongüe, foi adiado por três vezes, e divulgado inesperadamente nesta quarta.Em 12 de outubro, Nyirenda concedeu a Madonna e a seu marido, o cineasta britânico Guy Ritchie, que passaram oito dias no país, a custódia temporária de David Banda, de 1 ano e 3 meses. Madonna é mãe de Lourdes Maria, de 9 anos, que teve com seu ex-personal trainer Carlos Leon, e de Rocco, de 6 anos, que teve com Ritchie.Yohane Banda, pai do menino David, assinou os papéis permitindo que o filho fosse adotado. A mãe de David morreu uma semana após o parto. Em dez anos de união, o casal perdeu dois filhos, vítimas de malária. Madonna e Ritchie foram autorizados a levar David Banda para sua casa em Londres, apesar de as leis locais determinarem que os pretensos pais adotivos devam passar um período de 18 a 24 meses vivendo no país, sendo observados e avaliados pelo serviço social de Maláui.Preocupação dos ativistasOs ativistas, argumentando estar preocupados de que o governo tenha violado as regras para acelerar o processo de adoção, disseram que as leis devem ser seguidas para proteção dos meninos."Devo ressaltar que nunca estivemos contra a adoção, mas queremos que as leis de Maláui fiquem claras e sejam seguidas ao pé da letra", expressou o advogado Justin Dzonzi, presidente da Comissão Consultiva dos Direitos Humanos. "O que acontece hoje nos dá oportunidade de esclarecer algumas lacunas em torno das leis de adoção em Maláui".Anteriormente Dzonzi já tinha manifestado a preocupação do grupo com as centenas de crianças anualmente adotadas por estrangeiros no país: "Não existe um sistema que monitore como são tratados esses meninos, onde quer que eles estejam". Em sua decisão, Nyirenda escreveu que não encontrou razão alguma para rechaçar a solicitação dos ativistas. "Creio que os solicitantes têm boas intenções e este país seguramente se beneficiará de suas opiniões", disse.Deste modo, as organizações farão parte da primeira avaliação do governo sobre a adoção de Madonna e Ritchie, programada para maio. Em um país assolado pela aids, cerca de dois milhões de crianças perdem um ou ambos os pais a cada ano e centenas são adotados por estrangeiros. A adoção de Madonna coincide com o lançamento de seu projeto de ajuda aos órfãos de Maláui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.