Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Johnny Hooker, Liniker e Almério são confirmados no Rock in Rio

'Estado' acompanhou o ensaio do trio confirmado no Palco Sunset durante a gravação da música 'Não Recomendado'

João Paulo Carvalho, Impresso

24 Março 2017 | 00h00

Mais três apresentações foram confirmadas na edição 2017 do Rock in Rio: Céu e Boogarins (15/9); Johnny Hooker, Liniker e Almério (17/9) e Baiana System e Titica (21/9). As performances acontecerão no Palco Sunset. Johnny Hooker, Liniker e Almério, inclusive, já começaram os ensaios da apresentação e o Estado esteve nos estúdios da Red Bull Station, no centro de São Paulo, na última quarta-feira, 22, para acompanhar. O trio, conhecido por sua potência vocal de ímpeto explosivo, gravou a canção Não Recomendado, do jovem cantor e compositor Caio Prado.

A escolha da composição não poderia ser mais apropriada. Prado faz parte de um novo movimento artístico que busca questionar e provocar os padrões comportamentais e burocráticos da sociedade. Com uma letra imponente e que confronta os chamados “estereótipos corretos e adequados”, as vozes de Hooker, Liniker e Almério caíram como uma luva.

A música, originalmente executada por um quarteto de cordas, ganhou uma roupagem mais rock ‘n’ roll e agressiva. “A letra do Caio serve como refúgio para se manter vivo numa sociedade preconceituosa e que oprime diariamente os homossexuais”, diz Liniker. “É uma música forte e que trata de várias questões importantes de um jeito tocante e profundo”, acrescenta Hooker. “A letra é muito importante. Ela diz que você não é recomendado para a sociedade. A gravação original é bem dolorida. Queria que eles dessem uma pegada a mais e levantassem uma discussão. O Rock in Rio é perfeito para isso”, complementa o músico, compositor e diretor artístico do palco Sunset, Zé Ricardo.

O show do trio no Rock in Rio vai mesclar o repertório autoral dos três artistas e versões especiais de grandes nomes da música popular brasileira. “Essa é a primeira vez que nos reunimos, para ser bem sincero. Estruturei algumas coisas em minha mente, mas não definimos nada. Acho que precisa ser orgânico, contar nossa história, nossa verdade”, afirma Hooker. “A música sempre foi um belo caminho para a abertura de diálogo. Isso acontece desde a ditadura. Ela (a música), infelizmente, tem ido apenas para o caminho do entretenimento. Merecemos mais”, diz Zé Ricardo.

Além de Hooker, Liniker e Almério, Céu e a banda goiana de rock psicodélico Boogarins também vão se apresentar juntos no festival. Eles, que fazem show no dia 15 de setembro, devem transformar o Palco Sunset num verdadeiro caldeirão psicodélico. “Minhas parcerias no palco fluem muito melhor do que no estúdio. Tenho uma maneira particular de compor”, ressalta Céu. O Rock in Rio será realizado entre os dias 15 e 17 de setembro e, no fim de semana seguinte, de 21 a 24 de setembro. A venda geral de ingressos começa no dia 6 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.