John Lennon faz estréia póstuma na Broadway

Quase 25 anos depois de seu assassinato, John Lennon fará sua estréia musical póstuma na Broadway com duas canções praticamente inéditas. India, India e I Don´t Want to Lose you eram, até agora, conhecidas apenas por alguns iniciados, informa neste sábado o jornal britânico The Times. As duas fazem parte de um novo musical sobre a vida do Beatle depois que sua viúva, a japonesa Yoko Ono, autorizou sua inclusão. Lennon escreveu India, India no final dos anos 70 para um musical de sua criação batizado com o título de sua canção The Balade of John and Yoko, que não chegou a se realizar embora alguns tenham podido escutá-la em gravações obtidas clandestinamente. A canção, com um estilo vocal similar a Hey Jude, de Paul McCartney, rememora uma viagem ao continente asiático. O narrador não pode, no entanto, esquecer seu lar da Inglaterra, onde deixou seu coração e sua menina. Parece inspirada na visita que os Beatles fizeram à Índia em 1968 para receber lições de Maharishi Mahesh Yogi. Segundo o jornal, a menina que deixou para trás era seguramente Yoko Ono e não sua primeira esposa, Cynthia, da qual Lennon se divorciou em 1968. Segundo Peter Nash, presidente do clube de admiradores dos Beatles no Reino Unido, o texto é original, mas Lennon compôs a melodia a partir de outras duas canções nas quais estava trabalhando: Memories e Serve Yourself. A segunda canção do musical "I Don´t want to lose you", que os entusiastas de Lennon conhecem como Now and then é uma balada melancólica, acompanhada de piano, que Lennon compôs em 1977 ou 1978 no apartamento do edifício Dakota de Nova York onde vivia. Yoko Ono cedeu em 1995 a canção aos sobreviventes dos Beatles para que eles a incluíssem no álbum antológico, mas o produtor não pôde eliminar uma espécie de zumbido e finalmente a deixou de fora. O musical nova-iorquino, que é dirigido por Don Scardino, contém um total de vinte e sete canções, que incluem Imagine, Give Peace a Chance e Whatever gets you through the Night. O jornal The Times lembra que Lennon, assassinado por um transtornado mental em 8 de dezembro de 1980 em Nova York, queria ter debutado em Broadway, mas não conseguiu fazê-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.