Mike Theiler/Reuters
Mike Theiler/Reuters

James Taylor cancela show nas Filipinas em protesto contra o atual presidente do país 

O artista vencedor do Grammy pediu desculpas aos fãs

Reuters

21 Dezembro 2016 | 18h21

MANILA - O cantor e compositor norte-americano James Taylor cancelou uma apresentação nas Filipinas para mostrar sua oposição ao que classificou como as "inaceitáveis" mortes sem o devido processo judicial que têm ocorrido durante a guerra do governo filipino contra as drogas.

O artista vencedor do Grammy pediu desculpas aos fãs por desistir do show marcado para fevereiro em Manila, dizendo em um comunicado que concorda em se lidar com criminosos envolvidos com drogas de acordo com a lei, mas que é contra puni-los à margem dela.

"Não considero minha música particularmente política, mas às vezes a pessoa é conclamada a se manifestar politicamente", disse Taylor, de 68 anos, cujos sucessos incluem You've Got a Friend e Fire and Rain.

"Que uma nação soberana processe e puna, de acordo com a lei, aqueles responsáveis pelo comércio ilegal de drogas é, claro, compreensível, até elogiável", disse.

"Mas os relatos recentes das Filipinas sobre execuções sumárias de supostos criminosos sem julgamento ou processo judicial são profundamente preocupantes e inaceitáveis para qualquer um que ame o Estado de Direito".

Mais de 6 mil pessoas foram mortas desde que o pragmático presidente filipino, Rodrigo Duterte, assumiu em julho e iniciou uma repressão severa. A polícia diz que um terço destes mortos são possíveis traficantes vitimados durante operações antinarcóticos.

O restante das mortes ainda está sob investigação policial, e muitos as creditam a vigilantes, alguns dos quais ativistas acreditam serem assassinos a soldo trabalhando para as autoridades.

 

Mais conteúdo sobre:
James Taylor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.